Publicidade
Cotidiano
Educação

Estudantes de escolas públicas conquistaram 73% das 2.385 vagas ofertadas pelo PSC

Análise estatística aponta que 1.756 alunos da rede pública estadual do Amazonas foram aprovados para a Ufam 23/04/2016 às 19:08 - Atualizado em 23/04/2016 às 20:27
Luana Carvalho Manaus (AM)

Nascido em Zimbábue, na África, o calouro do curso de sistema de informação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Dan Filipe da Silva, 18, veio para Manaus aos nove anos, onde acompanhou os pais recomeçarem a vida do zero. “Meus pais são pastores e tinham ido à África em missão. Quando voltaram, não tínhamos nada no Brasil. E, mesmo tendo ouvido bastante que a educação pública aqui não era das melhores, meus pais sempre me ensinaram que eu  tinha que me dedicar aos estudos, com foco e vontade”.

Aluno de escola pública desde a 5º série, Dan concluiu o ensino médio no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Professor Engenheiro Sérgio Alfredo Pessoa Figueiredo, no bairro Cidade de Deus, Zona Norte. Ele também é um dos 1.756 alunos da rede pública do Amazonas que foram aprovados no Processo Seletivo Contínuo (PSC), que teve 73,6% das vagas conquistadas por estudantes da rede pública estadual. 

Alunos das demais redes, abrangendo a particular e a federal alcançaram 26,4% das vagas do PSC. 

‘Uma nova chance’

Dan estava desanimado, pois não havia sido aprovado na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e o resultado do PSC era a última esperança de ingressar num curso superior este ano. “Foi uma felicidade imensa. Eu já estava desacreditado e, quando vi meu nome, pulei de alegria. Sempre fui apaixonado por programação e tecnologia e este curso foi minha primeira opção”, conta. 

No último ano, o calouro fez curso preparatório para complementar os estudos. “Fui morar com minha avó, na Grande Circular (Zona Leste), para ficar mais perto do cursinho. Eu acordava 5h, passava o dia na escola, saía para o cursinho e quando chegava em casa, tarde da noite, ainda tirava algumas horas para estudar”, relembra. 

Apesar das dificuldades, o sacrifício valeu a pena. “A dica que eu dou para quem vai prestar o vestibular é que foque em seu objetivo. No meu caso, eu coloquei nas mãos de Deus. Ele vem sempre em primeiro lugar. Deus ajuda, mas se o aluno não se ajudar também não adianta. Tem que pegar em muitos livros, praticar redação, sugar o professor de todas as maneiras”, aconselha. 

‘Medicina por amor’

Karolliny Correa Barauna, 18, também está realizando um sonho de infância. Aluna do Colégio Amazonense Dom Pedro II, no Centro, ela foi aprovada no PSC para o curso de medicina, um dos mais disputados pelos candidatos.  “Sempre quis ser médica, desde criança. Quando soube que tinha passado, fiquei muito feliz, pois foi um esforço imenso de noites e dias de estudo”, conta a jovem.

Tímida, ela ainda está se adaptando com a ideia de ser a mais nova universitária da família. “Ainda sou muito ingênua em relação à universidade e vida acadêmica. Fiz minha matrícula na sexta-feira e os anfitriões já me colocaram em um grupo de WhatsApp com outros calouros para irmos nos familiarizando. Estou gostando da experiência e sei que vou tirar bom proveito do curso”. 

Aprovados de estaduais são maioria 

A análise estatística aponta que 1.756 alunos da rede pública estadual do Amazonas foram aprovados no PSC. Já os estudantes oriundos das redes particular e federal que ingressarão na Ufam em 2016  por meio do certame somam 629 pessoas.

Realizado anualmente, o PSC consiste em uma avaliação seriada, aplicada para estudantes do 1º, 2º e 3º anos do ensino médio, juntamente com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  Neste ano, 14.754 candidatos estavam inscritos na última etapa do processo e, mediante os critérios estabelecidos em edital em consonância com as médias obtidas, preencheram o total de 2.385 vagas.

Para o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares da Silva, o índice de aprovação – 73,6% – aponta para a eficiência do ensino desenvolvido na esfera pública. “Muito mais que números estatísticos, o resultado expressivo mostra que 1.756 estudantes alcançaram êxito na avaliação e estão aptos para cursar o ensino superior, o que lhes abrirá novos horizontes e marcará seu desenvolvimento pessoal e profissional”, destacou.

Publicidade
Publicidade