Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governador do Amazonas, José Melo quer reforma administrativa aprovada em 10 dias na ALE

Assim que os deputados da ALE-AM voltarem do recesso em fevereiro, já haverá uma missão dada pelo governador: aprovar sem dificuldades as mudanças na estrutura do Executivo 11/01/2015 às 21:49
Show 1
José Melo ao lado do presidente da ALE-AM, Josué Neto
Luciano Falbo Manaus (AM)

A primeira missão da base aliada do governador José Melo (Pros) na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) em 2015 já foi lançada por ele: aprovar em 10 dias, assim que a Casa voltar aos trabalhos no dia 3 de fevereiro, a reforma administrativa que ele pretende fazer no Governo do Estado.

Em entrevista para A CRÍTICA, na quinta-feira, José Melo disse que acredita ser possível analisar, debater e votar as mudanças na estrutura do governo dentro desse prazo. No dia 3 do mês que vem, será a realizada a primeira sessão após a posse dos deputados, que ocorrerá no dia 1º, juntamente com a eleição da nova Mesa Diretora. Será, de fato, a primeira reunião com a nova composição de deputados eleitos em 2014 e com a nova Mesa Diretora coordenando os trabalhos em plenário.  

“Estamos fazendo o ajuste fino para produzir o projeto de lei que vai ser enviado dia 2 de fevereiro para a Assembleia Legislativa. Espero que em 10 dias eles consigam aprovar para colocarmos em prática o novo governo, em cima dos ajustes que precisam ser feitos, olhando as enormes dificuldades que o País vai enfrentar como um todo”, afirmou.

Com a reforma administrativa, Melo pretende extinguir e fundir pelo menos 10 secretarias. Além de fazer uma economia de R$ 700 milhões por ano, com o enxugamento da máquina. “Quero dar um toque pessoal pela experiência que eu tenho de mais de 30 anos de vida pública. Portanto, esse é o trabalho que estou fazendo”, disse.

O governador revelou que tentou fazer as mudanças no fim do ano passado, com os deputados da atual legislatura, mas, segundo ele, “não havia clima”. “Tínhamos saído de uma eleição e fiquei voltado para a minha prestação de contas da campanha”, observou.

A CRÍTICA apurou que a intenção do governador de aprovar a reforma em 10 dias já foi externada por ele nas últimas  reuniões que teve com os deputados eleitos no fim do ano passado. A tirar pelas conversas  nesses encontros, aliados do governador acreditam que, não haverá resistência quanto a  tramitação e aprovação da reforma administrativa nesse prazo. Treze dos 24 deputados da nova legislatura foram eleitos pelas coligações de Melo. Outros seis acenam fazer parte da sua base de apoio.

Enxugamento

José Melo afirma que vai alterar 20% da atual estrutura do governo. Entre fusões e extições, ele pretende alterar o funcionamento de 10 pastas. A economia prevista com o corte de custos e pessoal é de R$ 700 milhões.

Alvo de pressão

No fim de 2014, após as eleições, José Melo enfrentou resistência de antigos aliados que se reuniram em um bloco para tentar fazer oposição a ele na ALE.

O bloco foi se esvaziando no mês de novembro e, durante as votações mais importantes para o governo em dezembro, perdeu força e não obteve sucesso, na tentativa de fazer uma oposição efetiva à gestão. Passado o “calor da eleição” e com a nova composição parlamentar, Melo espera menores dificuldades na aprovação de matérias do governo este ano.

Para A CRÍTICA, no fim do ano passado, José Melo afirmou não acreditar que o movimento de oposição ao se governo terá a mesma proporção a partir deste ano na ALE-AM.

Ele afirmou também que se for necessário irá pessoalmente discutir projetos polêmicos com os parlamentares. “Se eu, ao apresentar uma projeto e sentir que terei dificuldades de aprovar, eu mesmo vou lá conversar, defender. Sempre foi assim que fiz”,  disse Melo  à época.

Publicidade
Publicidade