Publicidade
Cotidiano
MARIELLE

Governador do Rio diz que não vê sentido em mudar investigação do caso Marielle

A vereadora e o motorista dela, Anderson Gomes, foram assassinados a tiros em março do ano passado. Até o hoje o caso segue sem solução 04/01/2019 às 11:57
Show tnrgo abr 03011910008rj 2d71e230 4dbf 4d94 9b6a c49e6fe4f5a7
Foto: Agência Brasil
Vinícius Lisboa (Agência Brasil) Brasília (DF)

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse que não vê sentido em mudar os responsáveis pela investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado. Até o hoje o caso segue sem solução. Segundo Witzel, o caso deve ser encerrado em breve.

“Pelo que o delegado me falou, em termos de colheita de prova, ele já está avançado. Então, não tem sentido mudar. Acredito que ele vai dar, sim, um encerramento a esse caso em breve”, disse o governador, que inaugurou os programas Tijuca Presente e Ipanema Presente, para reforçar a segurança nos dois bairros.

Mais uma vez, Witzel defendeu a reestruturação da Polícia Civil, afirmando que é preciso deslocar delegados para forças-tarefa concentradas em investigar homicídios e também para delegacias de locais como São Gonçalo e Baixada Fluminense.

Para o governador, essa reorganização vai aumentar a capacidade de investigação e reduzir a impunidade dos assassinos. "Matou, tem que ser preso logo em seguida. Não pode demorar muito para prender. Quem está matando tem que saber que não vai ter mais como se esconder. Com isso, vamos reduzir sensivelmente os homicídios aqui no Rio de Janeiro."

Publicidade
Publicidade