Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governador José Melo afirma que o Amazonas será autossuficiente na produção de peixes

Declaração foi dada durante a posse do novo titular da Secretaria de Produção Rural, Sidney Leite, nesta quarta-feira 25/03/2015 às 17:24
Show 1
José Melo reuniu a imprensa do Estado, secretários e aliados para posse de Sidney Leite na Sepror
ACRITICA.COM Manaus (AM)

O governador José Melo (Pros) afirmou nesta quarta-feira (25), durante a posse do novo secretário de Estado de Produção Rural e Sustentabilidade, Sidney Leite (Pros), que o governo está empenhado em dar as respostas que o setor primário precisa e alavancar a economia do interior do Estado. As informações são da Agecom.

Entre as prioridades da pasta, segundo José Melo, está o fortalecimento da piscicultura e fruticultura, ampliação da malha de estradas vicinais para escoamento da produção e da mecanização agrícola.

“O Amazonas precisa se transformar em grande produtor de peixe e das frutas regionais, que são importantes do ponto de vista de alimentos e de remédios. A piscicultura será nosso principal desafio. Aproximadamente 80% de todo o Tambaqui e Matrinxã ainda vêm de Rondônia e Roraima. Mas essa realidade vai mudar, vamos fomentar a atividade econômica e gerar emprego aqui, criar as condições para que o Amazonas se torne autossuficiente e vire o maior produtor de peixe em cativeiro”, disse o governador.

O governador já expressou, em outras ocasiões, que pretende trasnformar o Estado em uma referência na produção de enlatados de peixes. José Melo acredita que essa é a melhor opção para garantir mercado de exportação. O investimento no setor primário foi uma das principais bandeiras da campanha de José Melo em 2014.

Na segunda-feira (23), o gestor esteve reunido com autoridades cubanas para dar o pontapé inicial a uma cooperação entre o Amazonas e o País caribenho no setor.

Alavancar o setor primário

Para alavancar a atividade econômica no setor primário, o governador afirmou ainda que o planejamento do governo inclui reforçar a assistência técnica e aumentar o acesso de agricultores familiares ao microcrédito.

Segundo José Melo, o maior papel do Estado será o de indutor da economia. No caso da piscicultura e fruticultura, além de prestar assistência e disponibilizar crédito, o governo afirma que trabalha para atrair investidores do setor privado, com vistas à industrialização.

Com a reestruturação desses setores, o governo acredita que será possível também garantir maior articulação entre o setor produtivo e os órgãos ambientais e de fiscalização, beneficiando a produção e resguardando o caráter sustentável das atividades.

A prioridade ao setor primário também já foi tratada em reuniões realizadas pelo governador com executivos do Banco Mundial e com a Confederação Andina de Fomento (CAF), que analisa financiamento para recuperação de vicinais.

Nesta quinta-feira (26), José Melo viaja, com uma comitiva de técnicos do governo, ao Rio de Janeiro para conversar com empresários e apresentar a carta de investimentos no Amazonas. “O desafio é fazer mais com menos, pois esse ano a receita do Estado vai ser menor. Por isso, as parcerias são fundamentais”, afirmou.

Plano de Ação para o setor primário

Durante a solenidade de posse, o secretário Sidney Leite agradeceu a parceria das entidades ligadas ao setor e falou dos desafios de comandar a pasta. Ele afirmou que para atender as diretrizes do governador José Melo, a secretaria estabeleceu três frentes de trabalho prioritárias de ação para este ano: implantar mil hectares de lâminas d’água para aumento da produção de pescado; recuperar três mil quilômetros de estradas vicinais e fomentar a mecanização agrícola, principalmente para melhoria do cultivo e beneficiamento da mandioca.

No microcrédito, a expectativa é aumentar o volume de recursos ofertados com a parceria com instituições financeiras, como a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), o Banco do Brasil e o Banco do Amazônia.

Em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), será criado um programa de formação para técnicos e produtores rurais usando a estrutura do Centro de Mídias. A parceria que deve incluir a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Embrapa e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifam).

Para este ano, três mil quilômetros de vicinais serão recuperadas. A ideia é trabalhar em parceria com prefeituras e com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para buscar também a pavimentação das estradas de maior fluxo.

A recuperação de vicinais será feita de forma escalonada, de acordo com o nível de emergência e com a demanda de produção, a partir de dados fornecidos pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam).

Sidney Leite já responde pela Sepror desde o último dia 17, quando teve a nomeação publicada no Diário Oficial do Estado (DOE-AM). Deputado estadual licenciado, o secretário já foi vice-prefeito e três vezes prefeito de Maués e secretário do município de Manaus e do Estado.

As metas para os próximos três anos à frente da Sepror serão apresentadas ao governador nos próximos dias, disse o secretário. A nova estrutura da Secretaria abriga a Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS) e a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf).

A cerimônia ocorreu na sede do governo, no bairro Compensa II, zona oeste de Manaus, e contou com a presença da primeira-dama do Estado, Edilene Gomes de Oliveira, secretários estaduais, deputados estaduais, prefeitos do interior, representantes do setor agrícola e produtores rurais.

Publicidade
Publicidade