Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Notícias

Governador José Melo discute criação de escola bilíngue em reunião com cônsul japonês

O projeto da escola bilíngue com o ensino do japonês vai iniciar pela Escola Estadual Djalma Batista, localizada no bairro Japiim, Zona Sul de Manaus. A unidade de ensino está sendo reformada e adaptada pelo Governo do Estado para funcionar como escola de tempo integral



1.jpg
Com a inserção do japonês, o governo estadual amplia o ensino de idiomas nas escolas
13/07/2015 às 15:31

De olho na forte presença de empresas japonesas no Polo Industrial de Manaus, o Governo do Amazonas prepara o lançamento de um programa de escola bilíngue para levar o idioma aos estudantes da rede estadual de educação. O projeto foi o principal tema da reunião entre o governador José Melo e o cônsul-geral do Japão em Manaus, Kazuo Yamazaki, nesta segunda-feira, 13 de julho. Quarta maior colônia japonesa no Brasil, o Amazonas tem cerca de 160 mil descendentes e é uma das rotas estratégicas para investimentos de capital japonês no País, com 32 empresas em operação no Estado.

O projeto piloto da escola bilíngue japonesa vai iniciar pela Escola Estadual Djalma Batista, localizada no bairro Japiim, zona sul de Manaus. A unidade de ensino está sendo reformada e adaptada pelo Governo do Estado para funcionar como escola de tempo integral, com investimentos da ordem de R$ 10,5 milhões. Vistoriada na semana passada pelo governador, a obra está em fase de finalizações para entrar em funcionamento no ano letivo de 2016.

“Nosso Estado e o Japão têm uma relação fraterna há muito tempo. Foram eles que introduziram a juta e a malva e, hoje, temos muitas empresas no Polo Industrial de Manaus. São grandes empresas que geram emprego e movimentam nossa economia”, disse o governador.

Com a escola bilíngue, além de aprender a língua japonesa, os alunos irão estudar disciplinas no idioma. O currículo escolar especial está sendo elaborado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e especialistas em educação do Consulado do Japão. Materiais didáticos e ambientes para o aprendizado da cultura do país asiático serão desenvolvidos.

“Teremos uma escola funcionando bilíngue, com equipamentos e ambientes preparados para o ensino da língua japonesa. Laboratórios de linguística, ambiente de leitura, professores com formação apropriada. É um projeto teste e já estamos em negociação para implantar escolas bilíngues em inglês e espanhol. A ideia é que no contraturno eles aprendam disciplinas na segunda língua. É mais que um curso de idiomas”, afirmou o secretário de educação, Rossiele Soares.

Amazonas Bilíngue

Com a inserção do japonês, o governo estadual amplia o ensino de idiomas nas escolas. Atualmente, a Seduc mantém o programa Amazonas Bilíngue que oferece cursos de inglês para estudantes dos 1º e 2º anos do ensino médio com o objetivo de capacitá-los para atuar em áreas como o turismo. Mais de 700 alunos participam do programa em todo o Estado.

De acordo com o cônsul do Japão, a expansão do aprendizado do idioma é uma bandeira estratégica para atender ao mercado empresarial instalado no Amazonas. O ensino do idioma nas escolas será um passo importante, avaliou. “É interesse do governo japonês, queremos ampliar a língua aqui por causa da presença maciça das empresas japonesas”, pontuou.

Entre as iniciativas para disseminar o idioma, Kazuo Yamazaki destacou o curso de idiomas realizado na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que tem uma turma em formação.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.