Domingo, 19 de Maio de 2019
Notícias

Governador José Melo reúne secretários para falar sobre corte de R$ 600 mi no orçamento

Em reunião na manhã deste sábado (5), Melo enfatizou a necessidade em poupar dinheiro com serviços terceirizados como limpeza e segurança armada



1.jpg
Reunião ocorreu na sede do Governo do Estado
04/07/2015 às 12:36

O governador do Amazonas, José Melo (Pros), reuniu todo o secretariado na manhã deste sábado (5), na sede do Governo, em Manaus, para falar sobre a necessidade de poupar R$ 600 milhões do orçamento estadual até o fim do ano. Segundo ele, os cortes deverão ser feitos em serviços terceirizados, como limpeza e conservação, e equipes de segurança armada.

“Podemos economizar muito dinheiro somente trocando seguranças armados por vigias comuns. Ao invés de gastar R$ 11 mil com uma equipe de seguranças armados, contratar um vigilante por R$ 1,2 mil”, exemplificou, ao ressaltar que todas as pastas deverão analisar esse tipo de gasto.

Questionado se haverá ajuda do Governo Federal, Melo informou que não, e ainda enfatizou o fato de as “torneiras internacionais” também estarem fechadas. “O Governo Federal fechou tudo, porque estamos começando a pagar empréstimos feitos no ano passado. Só este ano serão R$ 800 milhões para esses vencimentos”, informou.


Visita às obras

Ontem, durante visita às obras da avenida das Flores, Melo já havia anunciado que o Estado pretendia economizar R$ 600 milhões. Todas as secretarias sofreriam reduções no orçamento, exceto a Secretaria de Educação (Seduc). Ele afirmou, ainda, que o 13º salário dos servidores públicos a serem pagos até o final do mês está assegurado.

O governador esperava que no mês passado a receita tributária se equilibrasse, após ter anunciado reajuste orçamentário no início do ano. No entanto, houve queda de 8% na arrecadação, influenciada também pela não liberação de mercadorias na Zona Franca de Manaus, já que os servidores da Suframa estão em greve.

“Hoje centenas de contêineres estão no porto, entulhados. São 198 mil notas fiscais a serem liberadas que representam um impacto forte na economia. É meu dever como governador não permitir que os serviços sejam prejudicados. Por isso vou ter que cortar na carne e fazer mais ajustes”, declarou Melo, ontem.

O governador declarou que apenas algumas exceções, como as secretarias de Meio Ambiente e o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), têm condições de se manter com receitas do orçamento próprio.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.