Sexta-feira, 26 de Abril de 2019
publicidade
1.gif
Na semana passada, o governador José Melo, acompanhado do ex-governador Omar Aziz e do prefeito Artur Neto, inaugurou um hospital na Zona Norte de Manaus
publicidade
publicidade

Notícias

Governo do Estado intensifica entrega de obras durante processo eleitoral do AM

Estratégia utilizada por quem comanda a máquina pública durante o processo eleitoral, a inauguração de obras aumenta próximo ao fim do prazo em que a Justiça Eleitoral proíbe a participação de candidatos nesse tipo de evento


03/07/2014 às 11:06

De olho nos dividendos eleitorais que a entrega de obras pode render, o governador do Amazonas e candidato à reeleição, José Melo (Pros), acelerou as inaugurações na capital e nos municípios do interior do Estado. De acordo com legislação eleitoral, os candidatos só poderão participar de inaugurações de obras públicas até o próximo sábado. Após este período a presença deles nesses eventos é considerada crime eleitoral sob pena de ter o diploma cassado e perder o mandato, caso seja eleito.

Desde o dia 5 de abril o governador José Melo participou de 24 inaugurações de obras públicas, entre elas a do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC-R), em Manaus, e o Complexo do Sistema Viário do Quarenta, no bairro Japiim, zona sul de Manaus, como parte do Prosamim II.

De acordo com a Agência de Comunicação do Estado do Amazonas (Agecom), hoje, Melo irá reinaugurar o Parque Estadual Sumaúma e o Estádio da Colina. E na sexta-feira, um dia antes do prazo limite para participar de inaugurações de obras financiadas com o erário, vai inaugurar o Centro de Convenções do Amazonas.

A Lei das Eleições (lei 9.504/97), no artigo 77 especifica que “é proibido a qualquer candidato comparecer, nos três meses que precedem o pleito, a inaugurações de obras públicas”.

Nesta  quarta-feira (02) pela manhã, José Melo esteve nos municípios de Manaquiri (a 65 quilômetros de Manaus) e Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) reinaugurando hospitais. E à noite, em Manaus, inaugurou o conjunto residencial do Prosamim do São Raimundo, Zona Oeste, com 222 unidades habitacionais que atenderá 1.200 pessoas. A entrega das moradias foi em clima de festa e contou com a apresentação de artistas locais.

Na sexta-feira, o governador inaugurou o Pronto-socorro da Zona Norte Delphina Rinaldi Abdel Aziz. Apesar da entrega, as obras no local continuam. O hospital deve ficar pronto em 11 meses. Na ocasião, Melo afirmou que o pronto-socorro iria desafogar outras unidades e também atender pacientes do interior do Estado.

publicidade

Em maio, em Itacoatira (a 276 quilômetros de Manaus), Melo inaugurou um data-center permitindo que as 15 escolas estaduais do município tivessem acesso à Internet; entregou alevinos de tambaqui a piscicultores. Em Japurá (a 1.498 quilômetros de Manaus) onde esteve no dia 18 de maio, o governador inaugurou um hospital.

Segundo o analista político e diretor da Action, Afrânio Soares, a participação em eventos pode vir a render votos. “Eles têm que entender que só vai reverter um voto de quem votaria em outro candidato se essa pessoa (eleitor) captar que a obra foi, desde o princípio, realizada e concluída, graças ao governador, e que caso ele não seja eleito haverá uma descontinuidade”, disse Soares.

Presidente Dilma Rousseff intensificou agenda de inaugurações

A quatro dias para o início oficial da campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, continua a maratona de inaugurações pelo país. Nesta quarta-feira (02), Dilma entregou 496 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, em Vila Velha, a 15 quilômetros de Vitória, no Espirito Santo. No entanto, as obras do condomínio estão inacabadas: 992 apartamentos só serão entregues em dezembro.

Ao lado de dois ministros (Cidades e Educação), de deputados estaduais e federais, além da senadora Ana Rita (PT-ES), Dilma inaugurou somente o Residencial Vila Velha 1, que teve um investimento de R$ 22,8 milhões. Segundo a Caixa Econômica Federal, o Residencial Vila Velha 2 (com 496 unidades) só terá as chaves entregues em 90 dias. Já o Residencial Vila Velha 2 (também com 496 unidades) ficará pronta no fim do ano. O total do projeto é de R$ 68,1 milhões. Os três complexos ficam em um mesmo terreno, localizado no bairro Jabaeté.

No local, há ruas sem asfalto e o esgoto corre a céu aberto, apesar de haver placas da prefeitura e do governo do Estado com anúncio de obras de infraestrutura. Os dois condomínios inacabados foram isolados com tapumes.

publicidade
publicidade
Obras na Silves e Maués: famílias próximas ao Igarapé do 40 serão realocadas
Sejusc adota política para incentivar a independência financeira para mulheres
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.