Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governo e prefeituras lançam sistema que unifica dados sobre violência contra a mulher

O projeto é fruto de um convênio da Seas com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República 13/05/2015 às 17:02
Show 1
Solenidade aconteceu no auditório da Seas, no bairro Chapada, zona centro-sul, e contou com a presença da primeira-dama do Estado, além da secretária Seas, da secretária municipal de Assistência Social, prefeitos do interior, secretários municipais e representantes de entidades
acritica.com Manaus (AM)

O governador José Melo (Pros) formalizou nesta quarta-feira (13) a entrega do Sistema de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica (SAM) e de mobiliário para 23 municípios do Estado que possuem Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas). As informações são das secretarias estadual (Secom) e municipal (Semcom) de Comunicação.

O SAM vai unificar a base de dados referentes aos casos de violência contra a mulher, subsidiando a criação de políticas públicas mais eficientes, segundo o governador.

“O nosso governo tem sido muito forte no combate a esse tipo de situação. Agora nós estamos aparelhando os municípios para que, juntos, possamos construir uma política que possa reduzir esses casos. É muito importante essa ação conjunta do Governo com os municípios, pois é neles que precisam ocorrer as ações”, afirmou José Melo.

A solenidade aconteceu no auditório da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), no bairro Chapada, zona centro-sul, e contou com a presença da primeira-dama do Estado, Edilene Gomes de Oliveira, além da secretária estadual de Assistência Social, Regina Fernandes, da secretária municipal de Assistência Social e primeira-dama de Manaus, Goreth Garcia, prefeitos do interior, secretários municipais e representantes de entidades.

Desenvolvido pela equipe técnica da empresa Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), o sistema é objeto de convênio firmado entre a Seas e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, e tem por finalidade contribuir para a unificação da base de dados referentes aos casos de violência contra a mulher informados em atendimentos realizados nos Creas.

A ferramenta vai possibilitar a produção de indicadores a partir das informações inseridas no sistema, cujos dados irão contribuir positivamente para criação de políticas de intervenção mais duradouras, preventivas e evolutivas nos acompanhamentos tanto na capital quanto no interior do Estado.

A secretária de Estado de Assistência Social, Regina Fernandes, explicou que antes os registros eram feitos de forma isolada em cada centro de referência. Com o sistema integrado, será possível melhorar a rede de atendimento, implantar mais delegacias no interior e fazer com que a Rede Mulher seja expandida para os demais municípios.

O mobiliário entregue conta com computador, fax, filtro de linha, impressora, mesa, cadeira, nobreak e pen drive. Os municípios beneficiados são: Barcelos, Benjamin Constant, Canutama, Carauari, Coari, Fonte Boa, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manaus, Manacapuru, Maraã, Maués, Nhamundá, Nova Olinda do Norte, Parintins, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Tapauá, Tefé, Tonantins e Urucará.

Capital

A partir do segundo semestre, a Prefeitura de Manaus contará com um espaço exclusivo para atender mulheres que tenham seus direitos violados. “A questão da violência contra a mulher não é meramente física, pode ser psicológica, patrimonial e resultado de todo um sistema que a diminuiu e não a deixou crescer como pessoa. O que queremos é resgatar essa mulher, capacitando-a e oferecendo a ela uma série de ferramentas de empoderamento”, destacou Goreth Garcia.

O novo Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM) está com sua estrutura pronta para ser entregue e só depende agora de desembaraços burocráticos, em Brasília, segundo da Semcom, para ser inaugurado. O espaço se soma às ações sociais já desenvolvidas pela Semmasdh.

“Já temos todo um direcionamento do nosso trabalho nos Centros de Referência Especializado em Assistência Social – Creas – voltado para as mulheres. São registros de agressões domésticas, problemas familiares de todas as naturezas, cursos de capacitação, enfim, esse será um serviço a mais na nossa rede de proteção à mulher”, reforçou Goreth Garcia.

Publicidade
Publicidade