Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Governo intensifica atendimento em 10 municípios com foco na hanseníase

Serviços dermatológicos ocorrem até o dia 30 de julho em Apuí, Parintins, Nhamundá, Barreirinha, Japurá, Maraã, Jutaí, Juruá, Tapauá e Canutama 04/07/2018 às 15:36
Show a ao
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Fundação Alfredo da Matta (Fuam), órgão da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), realiza até o dia 30 de julho uma programação com foco na intensificação de atendimento dermatológico, nos municípios de Apuí, Parintins, Nhamundá, Barreirinha, Japurá, Maraã, Jutaí, Juruá, Tapauá e Canutama. A ação, que começou na última terça-feira (3), faz parte do monitoramento em hanseníase, coordenado no Amazonas pela Fuam.

Para o diretor presidente da Fuam, médico dermatologista Helder Cavalcante, este tipo de ação é de grande importância, porque sinaliza a realidade da Hanseníase nos municípios amazonenses. Segundo ele, em 2017 foram visitados todos os municípios do Estado, o que deve ser repetido este ano.

“Ano passado, estivemos em todos os municípios amazonenses fazendo um intenso trabalho de busca ativa e monitoramento das ações de combate à Hanseníase, o que rendeu 6.842 exames dermatológicos, 2.680 consultas médicas, 123 casos novos de Hanseníase identificados; além de 527 exames de contatos – pessoas que mantém convívio prolongado com pessoas diagnosticadas com a doença – e ainda um importante trabalho de treinamento in loco com 2.554 profissionais da saúde”, afirmou.

Cirurgias em Apuí

No município de Apuí, localizado na Região Sul do Amazonas, a 453 quilômetros de Manaus, pela distância e peculiaridades, a Fuam realizará, nesse mesmo período, além das Ações de Monitoramento e mutirão dermatológico, 35 cirurgias em pacientes portadores de neuropatias causadas pela hanseníase.

Os procedimentos foram agendados em Apuí, devido à necessidade detectada entre os pacientes que recebem acompanhamento naquele município –  pacientes com deformidades neurológicas, causadas pela doença. 

A hanseníase é uma doença que acomete, principalmente, pele e sistema nervoso periférico. As cirurgias neurológicas reparadoras são necessárias em alguns casos, em pacientes que por algum motivo tiveram evolução da doença a ponto de causar sequela no nervo. A indicação de cirurgia é definida pelos profissionais que acompanham os pacientes.

A equipe que está no município é composta por dois cirurgiões, dois dermatologistas, duas enfermeiras, além de técnicos de enfermagem e técnicos em dermatologia. Em 2017, quando equipe da Fuam esteve no município, foram computados 151 exames dermatológicos, 79 consultas médicas e um caso novo de hanseníase.

Publicidade
Publicidade