Publicidade
Cotidiano
PROPOSTA

Governo prevê orçamento de R$ 15 milhões para 2018 com fundo para o interior

Projeto de lei foi entregue pelo chefe da Casa Civil, Sidney Leite, na Assembleia Legislativa, e deve ser votado até o dia 17 de dezembro 31/10/2017 às 12:23
Show ale
Projeto de lei será apreciado pelos deputados nas próximas sessões
Geizyara Brandão Manaus

A Lei Orçamentária Anual (LOA)  para o exercício de 2018, que prevê um orçamento de um pouco mais de R$ 15  bilhões, foi entregue pelo chefe da Casa Civil, Sidney Leite, na manhã desta terça-feira (31), para iniciar a tramitação na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM).

"Vim pessoalmente trazer a peça para que os deputados possam analisar e essa Casa possa aprovar mediante análise e participação de todo o colegiado de deputados", afirmou o chefe da Casa Civil.

O governador Amazonino Mendes (PDT) destacou o interior como uma das prioridades contidas na LOA. "Estou restaurando o que criei lá atrás, há 15 anos, nós criamos um fundo voltado para o interior, para o desenvolvimento do interior: o FTI. Esse recurso fui buscar no distrito, assim como fui buscar o dinheiro para a Universidade", contou.

O Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas (FTI) e o Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES) voltam a serem aplicados para os destinos originais. "O FTI (...) retoma o curso natural. O outro, parte do FMPES, que estava sendo utilizado de forma não correta. Parte estava indo para Afeam como é preconizado o fundo e parte não estava indo", explicou Sidney.

Outras alterações apontadas pelo chefe da Casa Civil estão na Educação e na Saúde. "Na educação, a receita do Fundeb é menor, então no global vai aparecer um pouco menor, mas no que diz respeito à parte de fonte tesouro há um acréscimo do aporte de recursos", disse.

Leite também enfatizou que os investimentos serão realizados na saúde, educação e segurança como "prioridades primeiras", para tanto, haverá cortes de custeio.

Segundo o líder do governo na ALE-AM, deputado Dermilson Chagas (PEN), os deputados votarão a LOA antes do recesso, que inicia no dia 17 de dezembro.

Publicidade
Publicidade