Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Notícias

Governo vai liberar recursos financeiros aos municípios em estado de emergência

Cinco cidades da calha do rio Juruá que pediram ajuda devido à cheia receberão dinheiro e ajuda humanitária, mas o Estado não informou quanto cada município receberá de ajuda. Outros quatro locais seguem em estado de alerta



1.jpg Cheia do rio Juruá começa a afetar o cotidiano de moradores de cinco municípios amazonenses, como Ipixuna
06/02/2015 às 14:07

O Governo do Amazonas deve liberar já nos próximos dias recursos financeiros e ajuda humanitária aos municípios da calha do rio Juruá que decretaram estado de emergência por causa da cheia. A informação é do secretário-geral da Associação Amazonense de Municípios (AAM) e prefeito do Município de Juruá, Tabira Ferreira, que se reuniu com o Governador José Melo para tratar a questão.

Já declaram Estado de Emergência os seguintes municípios: Itamarati, Eirunepé, Ipixuna, Envira e Guajará. Além disso, as cidades Tabatinga, Boca do Acre, Benjamin Constant e Humaitá já estão em alerta. Ainda na reunião, o governador declarou que se reunirá com os deputados federais do Estado para solicitar a elaboração de projetos de lei para liberar mais facilmente recursos financeiros a esses municípios. Esses projetos serão encaminhados imediatamente ao Ministério de Integração Nacional.

A Associação Amazonense dos Municípios continua acompanhando as cidades em relação à cheia, diante das suas atribuições. É importante esclarecer que a AAM foi quem, primeiramente, solicitou a criação e utilização do Fundo Permanente da Defesa Civil, disponibilizando assim recursos imediatos aos municípios em Estado de Emergência.

“O Governador se comprometeu a iniciar a ajuda humanitária a esses municípios – com o envio de cestas básicas, medicamentos e produtos de higiene – já a partir deste final de semana. Além disso, enviou técnicos da Defesa Civil do Estado aos municípios atingidos para que os prefeitos possam homologar o Estado de Emergência e comecem a receber os repasses financeiros”, afirmou Tabira Ferreira.

As zonas rurais de todos os municípios atingidos já estão completamente alagadas. “Algumas cidades precisam criar marombas para a suspensão de criações, outras precisam de madeiras para suspender as casas. Além disso, todos precisam de remédios e itens de primeira necessidade”, destacou.

Tabira destacou ainda a atuação da Defesa Civil no Estado nessa região do Amazonas. “Eles estão preparados e fazendo um ótimo atendimento às famílias atingidas. A Associação Amazonense dos Municípios quer atuar em parceria com esses profissionais, para que os problemas ocasionados pela cheia sejam minimizados”. 

*Com informações da assessoria de imprensa da AAM


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.