Publicidade
Cotidiano
PREVENÇÃO

Grávidas da capital e interior do Amazonas receberão repelentes

A ação tem como objetivo minimizar a exposição das grávidas ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikugunya e Zika 21/03/2017 às 20:05 - Atualizado em 21/03/2017 às 20:07
Show repelente0333
Unidades estaduais de referência em atendimento à gravidez de alto risco vão distribuir repelentes para grávidas da capital e interior. Foto: Divulgação
acritica.com Manaus

Unidades estaduais de referência em atendimento à gravidez de alto risco vão distribuir repelentes para grávidas da capital e interior do Amazonas. Iniciada neste mês, a ação do Governo do Amazonas é coordenada pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), e tem como objetivo minimizar a exposição das grávidas ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikugunya e Zika. Este último está associado a má-formação craniana de bebês e a doenças neurológicas.

O diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque lembra que o uso de repelente durante a gravidez é uma das ações de proteção individual ao Aedes Aegypti. "Ao todo são 20 municípios do Amazonas que são considerados de maior risco de tramissão dos vírus. O produto será disponibilizado de forma gratuita no atendimento do pré-natal para grávidas de baixo poder aquisitivo", explica o diretor.

O enfermeiro Luciano Pereira, que trabalha com grávidas de alto risco na maternidade estadual Balbina Mestrinho, ressalta que a medida permite com que as gestantes se sintam mais seguras para enfrentar uma gestação que já requer um cuidado especial.

Segundo o enfermeiro, seguindo corretamente os procedimentos indicados pelo fabricante do repelente, a grávidas estarão seguras."A duração de proteção do repelente é de até dez horas, e deve ser reaplicado sempre que a paciente vier a suar, tomar banho, para garantir a eficiência do produto. A aplicação deve se restringir às áreas do corpo que ficam expostas, como mãos, rosto, pernas e pés", explica Luciano.

Aos 41 anos e grávida do primeiro filho, Josane Caldeira diz que a distribuição do repelente ajudará muito às grávidas que não têm condições de comprar o produto, além de auxiliá-las na manutenção de uma gravidez livre de complicações.

"Me dá mais segurança. Acho que isso vai agradar muita gente. Vai garantir mais segurança, saber que o governo esté distribuíndo. Tem mulheres grávidas que não têm condições de comprar. Isso vai proporcionar segurança", comenta Josane. Ela está no quarto mês de gestação e acaba de iniciar seu pré-natal na maternidade Balbina Mestrinho.

Os municípios contemplados com a distribuição gratuita de repelentes são  Barcelos, Boca do Acre, Borba, Careiro, Coari, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, Lábrea, Manaus, Manacapuru, Maués, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Tabatinga e Tefé.

Dados da FVS mostram que até fevereiro de 2017 foram notificados no Amazonas 2.198 casos de dengue, 84 casos de Chikungunya e 64 Zika vírus.

Reforço
A distribuição de repelentes será ampliada para todos os municípios do Amazonas, por meio do Ministério da Saúde, que encaminhará  cerca de 623 mil frascos de repelentes para o Estado. O repasse do material será feito em sete etapas de entrega e a primeira está prevista para fim deste mês.

Publicidade
Publicidade