Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Notícias

Greve dos servidores da Suframa é iminente, afirma sindicalista

Confirmação do veto da presidente Dilma ao reajuste salarial abre discussões entre os servidores sobre a possibilidade de greve na autarquia



1.jpg Servidores da Suframa fecharam a via na frente da sede da autarquia em Manaus como forma de protesto, em dezembro de 2014
11/05/2015 às 20:26

Com a confirmação do veto da presidente Dilma Rousseff (PT) ao artigo da Medida Provisória 660 que se refere à equiparação salarial dos servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda feira (11), representantes e funcionários da autarquia começaram as movimentações em resposta a decisão.

O Sindicato dos Servidores da Suframa (Sindframa) já se reuniu extraoficialmente com funcionários da superintendência para avisar que convocará uma assembléia ainda essa semana, provavelmente na quarta-feira (13) ou quinta-feira (14), para obedecer ao tempo de convocação de assembléia estipulado por lei. Mas, a greve é iminente, segundo o presidente do Sindframa, Anderson Belchior.

Nesta manhã, não houve manifestações na frente do órgão, mas o presidente do sindicato discursou para os servidores no hall da autarquia, para informar a todos os servidores sobre a atual situação do órgão. Em seu discurso, Belchior enfatizou o descaso e a falta de comprometimento das autoridades com a Superintendência, e enfatizou que “os servidores clamam por greve”.

A assembléia terá como pauta principal a resposta ao parecer da presidente e que provavelmente resultará na greve dos servidores da Suframa por tempo indeterminado. No entanto, segundo a assessoria, o sindicato deve estudar medidas para basear o congresso numa possível derrubada do veto.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.