Domingo, 16 de Junho de 2019
Notícias

Grupo de extermínio preso em Manaus usava carro com giroflex para se passar por policiais

Sete homens fortemente armados foram presos. Eles saíam da cadeia para executar desafetos do traficante “João Branco” e retornavam



1.gif Esquerda para direita: Clemilson, Bruno, Darlison, Denis, Rodrigo, Thiago e Erivelton
04/05/2015 às 10:13

Um grupo especializado em extermínio e, que supostamente prestava serviço para o traficante mais procurado do Amazonas, o “João Branco”, foi preso pela Polícia Civil do Amazonas no último sábado (2) e apresentado à imprensa hoje. Sete homens foram presos em flagrante.

O bando foi capturado em um posto de gasolina na avenida Torquato Tapajós, bairro Santa Etelvina, na Zona Norte da cidade, após um mês de investigações. Segundo a polícia, eles estavam fortemente armados e, inclusive, usavam um veículo com giroflex para se passar por policiais.

Os presos são Clemilson dos Santos Farias, 36, Bruno Nogueira Barbosa, 27, Darlison Souza Durães, 26, Denis de Souza Matos, 26, Rodrigo Azevedo Gaia, 21, Thiago Alves Abrantes, 23, e Erivelton da Silva Medeiros, 19. Nenhum deles quis falar com a imprensa sobre os crimes.

Segundo o delegado Thiago Tenório, do Departamento de Narcóticos (Denarc), os sete homens estavam divididos em dois veículos, um Voyage prata de placas AWL-0435 e um Prisma vermelho de placas DLC-8864. Eles pararam no posto de gasolina na av. Torquato e foram presos.

Na vistoria, foi verificado que o Voyage prata tinha placa fria e, dentro dele, havia um giroflex, equipamento sonoro que é usado pela polícia. Para o delegado, o grupo tentava se passar por policiais e, assim, tinham facilidade para executar crimes.

Após a vistoria nos carros, os agentes do Denarc foram a três casas dos suspeitos, uma na avenida Ouro, conjunto Bem-Hur, bairro Cidade de Deus, outra na rua Padre Unias Brito, bairro Tarumã, e outra no bairro Campos Sales. Foram encontrados mais veículos e diversas armas.

A polícia apreendeu R$ 22 mil, uma submetralhadora, dois revólveres calibre 38, cinco pistolas (duas PT 40, duas 380 e uma PT 30), diversas munições, e mais três veículos: uma moto CB 300 de placa AOG-4733, um Honda Civic preto de placas MPA-3314 e uma S-10 de placas OAI-8117.

Segundo Tenório, todos os sete homens são criminosos ligados ao traficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, foragido da Justiça e acusado de matar o delegado Oscar Cardoso há um ano em Manaus. A informação de que eles iriam matar um PM não foi confirmada.

Crimes

Todos os sete homens foram autuados por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Bruno foi autuado ainda por porte de arma de uso permitido e Darlison e Erivelton autuados por receptação e adulteração de veículo automotor.

Eles ainda serão investigados por outros crimes, como homicídios e roubo e furto de veículos. Segundo a polícia, alguns deles cumpriam pena em regime semiaberto e saíam da penitenciária Compaj apenas para executar desafetos de “João Branco” e depois retornavam.

Para a polícia, com a prisão do bando será possível elucidar dez casos de homicídios que ocorreram nos últimos dois meses, entre eles o de corpos encontrados no Tarumã, Puraquequara e no Coroado. A polícia atribui os crimes a brigas entre facções criminosas por territórios de tráfico.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.