Publicidade
Cotidiano
'CORDA BAMBA'

Há um ano à frente da Suframa, Rebecca Garcia tem cargo ameaçado

Nos bastidores políticos, rumores dão conta de que superintendente viajou às pressas à Brasília para encontro com "padrinhos" políticos. Assessoria afirma que motivo da viagem seria para tratar de medida provisória 02/02/2017 às 15:53
Show rebecca garcia
Rebecca estaria com cargo na Suframa ameaçado (Foto: Aguilar Abecassis/AC)
Antônio Paulo Brasília (DF)

Há pouco mais de um ano à frente da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), o cargo da ex-deputada Rebecca Garcia volta a ficar na “corda bamba”. Rumores nos bastidores políticos, difundidos ontem nos blogs e agências de notícias não somente do Amazonas, mas também da região, deram conta de que a superintendente viajou às pressas à capital federal para se encontrar com seus “padrinhos” políticos do Partido Progressista (PP), ao qual pertence, e do PMDB, diga-se senador Eduardo Braga (AM), para estancar a onda de boatos ou reverter uma possível exoneração.

Sob a indicação do senador Omar Aziz (PSD-AM), as notícias revelam que o sucessor de Rebecca, na Suframa, seria o deputado Silas Câmara (PRB-AM) por três motivos: o ministro do Desenvolvimento e Indústria e Comércio (Mdic), Marcos Pereira, ser o presidente nacional do PRB; Silas comandar o partido no Amazonas e ainda pelo cumprimento do acordo político, firmado com Omar Aziz, na eleição do segundo turno à Prefeitura de Manaus para apoiar a candidatura de Marcelo Ramos (PR). O segundo nome, ainda no âmbito do PRB, seria o do pastor Nilmar Oliveira que foi candidato a vereador à Câmara Municipal de Manaus, nas eleições de 2016, e perdeu.

Questionado sobre essa indicação, o deputado Silas Câmara respondeu: “Desconheço essa história de ir para a Suframa e não vejo ninguém tratando sobre isso. Sou deputado federal e, como é uma autarquia, teria que renunciar ao meu mandato o que não farei. Sinceramente, não sei de onde saem essas loucuras”, disse o deputado. Sondado sobre a indicação do pastor Nilmar Oliveira, Silas complementou: “Não procede a informação. Não tenho nenhuma indicação e nem estou ou estive trabalhando para retirar Rebecca Garcia da Superintendência da Zona Franca de Manaus”.

Diante das negativas de Silas Câmara, fonte ligada a Omar Aziz garante que o cargo de superintendente da Suframa será uma indicação do senador do Amazonas, promessa feita pelo próprio Michel Temer. “Esse nome, que não é o do deputado Silas, deverá ser anunciado nos próximos dias”, disse o informante.

Força de Braga

Por outro lado, há quem diga que essa história da saída de Rebecca Garcia não passe de “balão de ensaio” porque na repartição dos cargos federais do Amazonas a Suframa foi e continua sendo cota do senador Eduardo Braga. Quando Temer assumiu o Planalto, depois do impeachment de Dilma Rousseff, a coordenação da bancada se reuniu com o então ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, para tratar do loteamento dos órgãos no estado, quando foi dito claramente para não mexer na Suframa e setor elétrico, pertencentes a Braga, assim como as nomeações do Basa, de responsabilidade de Omar Aziz. Com a queda de Geddel, vai assumir a pasta o deputado Antônio Imbassahy (PSDB-BA), do mesmo partido do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, o mais novo aliado de Braga. Ao que parece, o senador do PMDB ainda está com força política na mão. 

Viagem de Rebecca

A assessoria de imprensa da superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, confirmou a viagem dela à Brasília, na última terça-feira (31), com a finalidade de tratar, entre outros assuntos, do andamento da votação, no Congresso Nacional, da MP 757, que instituiu a Taxa de Controle de Incentivos Fiscais (TCIF) e a Taxa de Serviços (TS). Nos últimos dias, no entanto, nenhum outro assunto tomou conta da Câmara dos Deputados e Senado senão a abertura do ano legislativo e as eleições das mesas diretoras das duas Casas.

Publicidade
Publicidade