Domingo, 24 de Janeiro de 2021
DOE SANGUE

Hemoam registra queda de 7,5% em doações de sangue, de janeiro a novembro

Pandemia de Covid-19 é tida como principal causa da redução, que chegou a ocasionar queda de 40% no estoque de sangue



5fa6116b-964c-4dd7-9070-4ceb2aebb21b_10EE8855-D75D-48E6-8209-60506ED15707.jpg Foto: Divulgação
27/11/2020 às 15:01

Na semana em que foi comemorado o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue (25 de novembro), a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) registrou uma queda de 7,5% em doações de sangue, no período de janeiro a novembro deste ano. A redução é atribuída à pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, que afetou os estoques de todos os bancos de sangue do país.

De janeiro a novembro, o Hemoam registrou a presença de 49.279 doadores de sangue. No mesmo período do ano passado, o hemocentro recebeu 52.957 doadores.



“Nós percebemos que a pandemia afastou significativamente as pessoas, principalmente em meados de março, abril e maio, quando nosso estoque caiu cerca de 40%. Mesmo assim conseguimos nos recuperar e mobilizar a população que já doava e quem nunca doou também”, destacou a diretora-presidente do Hemoam, Socorro Sampaio.

Sampaio frisou que foram realizadas diversas ações de mobilização e, graças a esse esforço, o percentual de queda reduziu para 7,5%.

“Muita gente abraçou a causa da doação de sangue, fizemos parcerias inéditas com empresas privadas, entidades públicas e a sociedade civil organizada”, discursou Sampaio, durante uma solenidade de homenagem aos doadores realizada pelo Hemoam na quarta-feira (25/11).

Uma das homenageadas foi Regina Jurema, que soma mais de 50 doações na carteirinha. “Doar sangue pra mim é uma honra, tenho muito orgulho disso e tenho certeza que, de alguma forma, eu também sou recompensada por isso”, comentou.

Para quem virou doadora recentemente, a sensação é a mesma. A estudante Lara Barreto, 18, entrou no time de doadores durante a pandemia da Covid-19, mas já assegurou que vai continuar doando, além de tentar multiplicar o gesto.

“Eu falo sobre isso nas minhas redes sociais e percebo que muita gente se interessa pelo assunto, porém ainda sentem medo. Então eu tento tranquilizar e motivar ainda mais essas pessoas”, relatou.

Novos doadores

A exemplo de Lara Barreto, o momento de crise chamou a atenção de novos doadores. Em um levantamento no banco de dados do Hemoam, foi identificado que na pandemia houve pelo menos 9 mil novos cadastros de pessoas que se candidataram à doação de sangue pela primeira vez.

Estima-se que esse número se deve aos diversos apelos na mídia e a ações inéditas, tais como as coletas de sangue itinerantes em condomínios residenciais, descontos em corridas pelos principais aplicativos de mobilidade urbana, além da iniciativa pública e privada.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.