Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
Notícias

Henrique Oliveira será o presidente do partido Solidariedade no AM

Deputado anunciou visitas aos municípios amazonenses e disse que o Estado conhecerá novo jeito de fazer política



1.jpg Os deputados Henrique Oliveira (segundo, à direita) e Paulinho da Força comemoram a aprovação da sigla pelo TSE
26/09/2013 às 08:39

O deputado federal Henrique Oliveira (PR-AM) será o presidente do Solidariedade no Estado do Amazonas e membro do Diretório Nacional da legenda. A garantia foi dada pelo criador e futuro presidente nacional do SDD, deputado Paulinho da Força, que deixará o PDT de São Paulo. Na noite de terça-feira (24), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, por quatro votos a três, a criação do partido Solidariedade e, por cinco a dois, o Partido Republicano da Ordem Social (PROS). Agora, o Brasil tem 32 partidos políticos. O Solidariedade foi fundado em outubro do ano passado, adotará como sigla partidária SDD e terá o número 77 como representação nas eleições de 2014.

Com a aprovação do novo partido, Henrique Oliveira – cotado para concorrer ao Governo do Estado, a vice-governador em uma das chapas majoritárias ou à reeleição (quase certa) de deputado federal, deixa o Partido da República (PR), comandado no Amazonas pelo senador Alfredo Nascimento. “Contrariando muitos que torciam para que o TSE reprovasse a nossa legenda, ganhamos a nossa independência. Deixo muitos amigos no PR e tenho muito respeito pelo senador Alfredo, mas agora quero trilhar o meu caminho, o caminho da solidariedade”, declarou emocionado o deputado ao deixar o plenário do Tribunal Superior Eleitoral.

Esquivando-se de falar em candidatura majoritária ou proporcional, nas eleições do ano que vem, Henrique disse apenas que vai percorrer todo o Estado arregimentando prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e lideranças para apresentar o programa do Solidariedade e um novo jeito de fazer política no Estado. O deputado lembra aos que quiserem ser candidatos pelo partido têm até o dia 5 de outubro para se filiar à legenda porque, segundo ele, o tempo é curto e há muito trabalho pela frente. “Demos o pontapé, agora é colocar o nosso bloco na rua e combinar com o povo”, disse.

Falando sobre o papel da militância do Solidariedade no Amazonas, que obteve 500 mil assinaturas de apoio em todo o País (para ser validado, um partido precisa do apoio de 0,5% do total de votos dados a deputados federais na última eleição, 492, segundo o TSE), Henrique citou o “braço forte” da Força Sindical no Estado, tendo como cabeças os sindicalistas Carlos Lacerda e Vicente Filizola, que deixam o PDT.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.