Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
NOVEMBRO AZUL

Homens se consultam em média 30% menos do que mulheres no AM

Campanha Novembro Azul deste ano irá focar na atenção integral à saúde em todas as fases da vida



Saude_do_homem_F4978770-5516-4B7C-AFF7-3054CA101A10.jpeg Foto: Divulgação
31/10/2019 às 15:45

O cuidado com a saúde do homem em todas as fases da vida e de forma integral é o foco da campanha Novembro Azul deste ano. Dados da Gerência de Controle e Avaliação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) mostram que a procura por consultas médicas no Amazonas é 30% menor entre os homens, quando comparado com as mulheres.

No período de janeiro até agosto de 2019, das 428.148 mil consultas marcadas pelo Sistema de Regulação (Sisreg) com informações sobre gênero, 178.966 consultas foram solicitadas para homens; as mulheres solicitaram 249.182 consultas. O dado ainda é subnotificado, porque outras 3,4 milhões de consultas não exigem informação sobre o sexo do paciente.



A Susam adere à campanha nacional para incentivar a atenção à saúde masculina e faz um alerta sobre as mortes por causas evitáveis entre a população masculina. Somente as diabetes, as doenças cardiovasculares e a pneumonia, que são doenças tratáveis, juntas, levaram a morte de 1.168 homens no primeiro semestre deste ano.

Homens associam doença à fraqueza

Para o cardiologista da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado (FCecon), Aristóteles Alencar Filho, se trata de um problema cultural. De acordo com o médico, os homens costumam associar as doenças à fraqueza. E não querem mostrar que são fracos.

“Nos países mais desenvolvidos, esse comportamento não existe mais. Observa-se isso principalmente em relação ao exame da próstata. Nos consultórios, observamos as mulheres praticamente arrastando seus companheiros para exames de controle. Mas, através da educação, isso pode mudar”, diz o especialista.

Conforme o cardiologista, o infarto do miocárdio está entre as principais doenças evitáveis que levam à morte. Dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) mostraram que as doenças coronarianas resultaram na morte de 653 homens neste ano no Estado. 

“A combinação de alimentação rica em gorduras, sedentarismo, cigarro, pressão alta e diabetes sem tratamento, estresse, história familiar e idade acima de 40 anos são fatores de risco importantes”, explicou o médico.

Doenças crônicas

Em média, os homens morrem seis anos mais cedo que as mulheres no Amazonas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A falta de cuidado com a saúde está relacionada às doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, além do câncer de próstata.

Eixos da saúde

De acordo com a coordenação estadual em saúde do homem da Susam, neste ano, cinco eixos da saúde do homem serão trabalhados nas unidades de saúde da capital e do interior, que vão do acolhimento do paciente até as doenças prevalentes do sexo masculino.

A saúde sexual e reprodutiva do homem, a paternidade, as violências e os acidentes completam os cinco eixos prioritários da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), direcionados pelo Ministério da Saúde a todos os Estados do País.

Os municípios recebem a orientação para trabalhar cada um dos eixos nas unidades básicas de saúde, segundo explicou a coordenadora estadual e saúde do homem da Susam, Thyana Palmeira.

Fluxo de atendimento do homem

O atendimento ambulatorial do homem, assim como da população em geral, inicia na Atenção Básica, pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS), competência dos municípios. A partir da primeira consulta, o médico pode encaminhar o paciente para os serviços e centros especializados da rede estadual.

Exames de prevenção como hemograma e dosagem dos níveis de colesterol total e frações, triglicerídeos, glicemia e insulina; aferição de pressão arterial, teste de glicemia, atualização do cartão de vacina, verificação de peso e cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC) podem ser feitos na Atenção Básica.

Já na atenção especializada fornecida pelo Estado, o homem tem acesso a especialistas como cardiologistas, urologistas, proctologistas, infectologistas, psicólogos entre outros.

Saúde integral do homem

A coordenadora estadual e saúde do homem da Susam, Thyana Palmeira, reforça que o Novembro Azul vai além da prevenção do câncer próstata, a campanha trabalha principalmente uma mudança no comportamento masculino na preocupação sobre a saúde.

“É importante que esse homem se sinta acolhido e saiba onde procurar ajuda para cuidar da sua saúde. Nós recomendamos a todos os municípios que estimulem a prevenção e a promoção de saúde do homem em todas as fases da vida”, disse a coordenadora.

De acordo com o chefe do serviço de urologia da FCecon, o médico urologista George Lins de Albuquerque, o mês é importante para tratar a saúde como um todo do homem e para relembrar sobre a importância do rastreamento do câncer para um tratamento mais eficaz.

Além da consulta anual com um urologista, o médico recomenda o exame que identifica o câncer de próstata para todos os homens após os 50 anos, mas alerta sobre o diagnóstico precoce nos grupos de risco.

“A recomendação é fazer os exames aos 45 anos em casos em que os pacientes tenham histórico de câncer de próstata na família e para pacientes da raça negra tem essa recomendação a partir dos 45 anos”, finalizou o urologista.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.