Publicidade
Cotidiano
Notícias

Hospital Geraldo da Rocha, referência em hanseníase, passa a realizar cirurgias ortopédicas reparadoras

Novas instalações da unidade de saúde foram entregue na tarde desta sexta-feira com custo de R$ 7.497.367,20, incluindo obras e equipamentos 03/10/2014 às 19:44
Show 1
Hospital fica localizado na Colônia Antônio Aleixo, zona Leste de Manaus
acritica.com* Manaus (AM)

Especializado no atendimento de pessoas acometidas pela hanseníase, o  Hospital Geraldo da Rocha,  localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona Leste, passou por uma grande reforma e, entre outras novidades, passará a realizar cirurgias ortopédicas reparadoras. De acordo com o secretário estadual de saúde em exercício, José Duarte dos Santos Filho, para reformar e reestruturar a unidade, foram investidos R$ 7.497.367,20 entre obras e equipamentos.

“Um ganho importante com a reforma foi exatamente a adaptação do centro cirúrgico do Hospital Geraldo da Rocha, para realização, na própria unidade, das intervenções ortopédicas reparadoras”, informou José Duarte, durante a solenidade de entrega da obra à comunidade da Colônia Antônio Aleixo. Ele frisou que, anteriormente, os pacientes com sequelas de hanseníase que necessitavam desse tipo de procedimento, eram transferidos para a Fundação Hospital Adriano Jorge, localizada no bairro da Cachoeirinha, zona Sul.


Com a reforma, as enfermarias do hospital que antes agrupavam 16 leitos num único espaço e dispunham de banheiros conjuntos no corredor, passam a ser organizadas em quartos com quatro leitos cada, com banheiros internos, nos padrões preconizados pelas normas hospitalares, assegurando maior conforto e a privacidade aos pacientes.

Para os pacientes vitimados pela hanseníase que já não dispõem de qualquer vínculo familiar e que viviam, há anos, na enfermaria do Geraldo da Rocha, foi também criado, graças à reforma, o espaço denominado Lar Paraíso. “Estes pacientes, que são albergados na unidade, têm agora um ambiente mais próximo do que seria um lar, onde passam a viver, permanecendo com todo o suporte de atendimento médico-hospitalar de que necessitam”, explica o secretário.

A diretora do Hospital Geraldo da Rocha, Ana Belota, explica que a unidade é referência para o acompanhamento de pacientes que, mesmo não tendo mais a doença, necessitam tratar as sequelas da hanseníase, sendo as mais comuns as úlceras nos pés e mãos. O atendimento clínico para pacientes diabéticos, hipertensos e com problemas pulmonares também é ofertado na unidade.

A gente chega a se emocionar. A satisfação da comunidade é imensa ao receber este hospital todo reformado. A gente mede essa satisfação pela alegria dos nossos colegas que são usuários dos serviços da unidade com esse novo ambiente”, comentou o coordenador do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), Pedro Borges.

Membro da executiva do Morhan nacional e representante do movimento no Conselho Nacional do Idoso, Valdenora Cruz Rodrigues falou com entusiasmo da reforma. “Como usuária dos serviços da unidade e como cidadã, me sinto muito feliz, porque essa reforma, o funcionamento do Centro Cirúrgico, representam para nós mais qualidade de vida”, assegurou.

Publicidade
Publicidade