Terça-feira, 16 de Julho de 2019
Saúde

Hospital de Manacapuru funciona só com serviços de urgência e emergência

Os demais serviços estão suspensos por falta de pagamento dos profissionais de saúde que trabalham da unidade



IMG0017409659.JPG Funcionários dizem que estão sem receber salários há quatro meses (Foto: Euzivaldo Queiroz / Arquivo/AC 13/10/2016)
17/12/2016 às 11:28

Somente os casos de urgência e emergência estão sendo atendidos no Hospital Regional Lázaro Reis, em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). Os demais serviços foram suspensos por falta de pagamento dos profissionais de saúde que trabalham da unidade. A paralisação começou nesta sexta-feira (17), e deve continuar até que os salários atrasados sejam pagos.

De acordo com os funcionários do hospital, há um grupo com salário atrasado há quatro meses e outro de terceirizados com dois meses. São médicos, enfermeiros, assistentes sociais, motoristas, entre outros, que não recebem seus pagamentos por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Manacapuru. Os profissionais denunciaram, ainda, que as refeições também deixaram de ser entregues na unidade.

Os funcionários levaram a situação ao conhecimento do Prefeito de Manacapuru, Jaziel Alencar, e da secretaria municipal de Saúde, Márcia Cardoso, mas até o momento não tiveram nenhuma resposta. “Desta vez nós paramos os atendimentos porque o prefeito não cumpre sua palavra. Toda vez que cobramos nosso pagamento ele diz que vai pagar e nunca paga”, disse um profissional que não quis se identificar.

A reportagem tentou contato com a Prefeitura de Manacapuru e Secretaria Municipal de Saúde, mas até o momento não conseguiu retorno.

Na página oficial da Prefeitura de Manacapuru, numa rede social na internet, um comunicado do prefeito Jaziel Alencar informa que a notícia vinculada sobre o fechamento do Hospital Regional Lázaro Reis, não é verdadeira. “Mesmo com bastante dificuldades, sem apoio, estamos mantendo o hospital com atendimentos médicos e serviços essenciais”, diz a nota.

Nela, o prefeito ainda afirma que, durante todos esses últimos três anos e 11 meses, fez o possível para não deixar a população sem serviços médicos. “Contudo, garantimos até o final desta administração que o hospital irá funcionar normalmente”, finaliza no comunicado.

Entretanto, em nenhum momento, o prefeito fala sobre o pagamento dos profissionais da saúde que estão com o salário atrasado. Nem mesmo em meio aos diversos questionamentos dos internautas no próprio perfil oficial da prefeitura na referida rede social.  

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.