Publicidade
Cotidiano
Vacinação HPV

HPV pode atingir meninas antes do início da vida sexual

Pais acham que vacina seria um 'libera geral'; médicos alertam que vírus pode ser contraído antes 16/08/2013 às 07:37
Show 1
Na primeira semana, a campanha imunizou mais de 21 mil meninas de 11 a 13 anos em Manaus e no interior do Amazonas
Jaíze Alencar Manaus

Em uma semana da campanha de vacinação contra o HPV (Papiloma vírus humano), mais de 21 mil meninas em todo o Amazonas foram imunizadas de acordo com o primeiro balanço parcial da Secretaria Estadual de Saúde (Susam),  divulgado nessa quinta-feira(15).

Para os pais que temem que a vacina antecipe o início da vida sexual das meninas, a ginecologista Mônica Bandeira destaca que o vírus HPV é extremamente contagioso e faz um alerta para. “Aproximadamente 45% das meninas adolescentes já são portadoras do vírus HPV antes mesmo da 1ª relação sexual. Para se contaminar com esse vírus não é necessário a penetração, basta que haja contato pele a pele”, explicou.

O HPV é responsável pelo câncer de colo uterino, a doença que mais mata mulheres no Amazonas, segundo a Susam. No ano passado, foram diagnosticados 600 novos casos de câncer de colo uterino, desses, 196 resultaram na morte das mulheres.

Esse tipo de câncer é silencioso e não apresenta qualquer tipo de sintoma levando em torno de 10 a 15 anos até se manifestar, alerta Bandeira. A ginecologista afirma ainda que esta doença é 100% evitável. “A prevenção do câncer de colo uterino se faz sobre tudo baseada na educação séria e adequada por parte da família e da escola, que devem orientar no sentido de que existe uma vacina que deve ser tomada em três doses”.

A campanha vai até o dia 30 deste mês, tem como público-alvo as meninas de 11 a 13 anos e está sendo executada em todas as escolas públicas municipais e estaduais e também nas particulares da capital e dos 61 municípios do interior de forma gratuita.

Autorizações

A manicure Nilsabeth Cardoso fez a parte dela para proteger a filha Lívia, de 11 anos, autorizando a vacinação. “Amo muito minha filha e só quero o bem dela. Assinei autorizando porque sei que o câncer é uma doença perigosa e os pais devem colaborar com tudo que possa ser feito para evitá-la“.

O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, reforça a orientação para que os pais preencham o formulário de autorização para que as meninas possam receber a vacina. “O documento está sendo entregue pelas escolas e, sem ele, devidamente assinado pelos pais ou responsáveis, a estudante não poderá receber a imunização contra o HPV”, frisou Alecrim.

A estimativa é de que 116,5 mil adolescentes, estejam nesta faixa-etária no Amazonas. A meta da campanha é imunizar, no mínimo, 80% desta população prioritária. 

Publicidade
Publicidade