Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
ATENDIMENTO

Humaitá terá polo da Defensoria Pública que vai beneficiar outros cinco municípios

A unidade vai receber o nome da professora Keilyanne Silva Ribeiro, que foi alvo de feminicídio na frente dos próprios filhos, em crime que chocou o município



Posse_dos_novos_defensores_do_AM_aprovados_em_concurso_F2D9A21E-5BB2-4145-8301-AE671821C5AE.jpeg
27/02/2019 às 14:57

O município de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus) receberá o terceiro polo da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), em abril. As cidades de Nova Olinda do Norte, Borba, Novo Aripuanã, Manicoré e Apuí, com população estimada em mais de 230 mil pessoas, também serão beneficiadas pelo atendimento.

Localizado no sul do estado, o polo terá cinco defensores nomeados pelo defensor público-geral, Rafael Barbosa, para quem a inauguração da unidade é mais uma prova do compromisso da DPE-AM com o processo de interiorização dos seus serviços.

A unidade vai receber o nome da professora Keilyanne Silva Ribeiro, natural do município e formada em Matemática pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Keilyanne foi vítima de feminicídio de grande repercussão em Humaitá, pois foi morta pelo próprio marido a facadas, na presença de seus filhos.

A proposta de dar o nome da professora ao prédio foi uma indicação do deputado estadual Cabo Maciel, sob a justificativa de que a educadora era conhecida e admirada na cidade, por ser um modelo de vida enquanto cidadã de bem, mulher de fé e alicerce da família. A direção da DPE-AM acolheu o pedido, na medida em que tem atuação marcante no acompanhamento das questões relacionadas aos crimes de feminicídio.

Interiorização - A DPE-AM já implantou polos de atendimento no interior do estado nos municípios de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), que atende também aos municípios de Nhamundá, Barreirinha e Boa Vista do Ramos; e em Itacoatiara (a 176 quilômetros da capital), responsável pelo atendimento aos moradores dos municípios de Rio Preto da Eva, Itapiranga, Silves, Urucará, São Sebastião do Uatumã e Urucurituba.

A inauguração de mais uma unidade, de acordo com o defensor público-geral, confirma o compromisso da atual gestão da Defensoria Pública de estar presente no interior, com estrutura fixa e independente, fortalecendo as ações da DPE-AM.

A implantação das unidades-polo segue os critérios determinados pela Constituição Federal, que estabelece a observância do número de habitantes ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) para distribuição dos defensores públicos. Para atender às demandas do interior, a DPE atua com o Grupo de Trabalho Itinerante (GTI).

Para Rafael Barbosa, é um passo importante a comemorar. “Posso afirmar, com convicção, que a DPE-AM é hoje uma instituição mais madura e, portanto, preparada para chegar com qualidade aos cidadãos do interior do Amazonas”, disse ele, que pretende finalizar sua gestão com mais de 80% das comarcas atendidas pela DPE-AM. “Preciso, para isso, obviamente, do apoio do governador, dos deputados estaduais e dos prefeitos”, destacou.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.