Publicidade
Cotidiano
Notícias

Idosos comemoram Dia Internacional da Mulher com esporte e lazer na Ponta Negra

Programa da Prefeitura cedeu ônibus para que CELs da zona Norte levassem os participantes dos grupos. Caminhadas, passeio de bicicleta e dança aeróbica estiveram entre as atividades 08/03/2015 às 11:56
Show 1
A dança aeróbica foi uma das atividade recreativas realizadas neste domingo,8
Juliana Geraldo Manaus (AM)

O Dia Internacional da Mulher foi comemorado com atividades especiais para homens e mulheres da melhor idade, na capital amazonense. Para comemorar a data, a Prefeitura de Manaus realizou mais uma edição do programa Viver Bem na Terceira Idade.

O projeto levou para o Complexo Turístico da Ponta Negra, zona Oeste, em torno de 50 idosos para uma manhã de atividades esportivas e de lazer. Desta vez, o programa contemplou os participantes dos Centros de Esporte e Lazer (CELs) dos bairros Cidade Nova e Santa Etelvina, ambos localizados na zona Norte da cidade.

Entre as atividades, os participantes fizeram alongamentos, caminhadas, passeio guiado de bicicleta e aula de dança aeróbica.

Para a professora Bárbara Patriarca, 27, que coordenou a manhã de lazer junto com o grupo do CEL Santa Etelvina, o programa representa uma oportunidade única para muitos idosos.

“Muitos ainda nem tinham visto a Ponta Negra reformada. Para fazer qualquer passeio eles precisam juntar o dinheiro. Então ter os ônibus significa muito mais do que um passeio. É a oportunidade de eles terem uma manhã especial”, afirmou.

Segundo ela, a coincidência do dia do passeio com a data que comemora o Dia das Mulheres ajudou a tornar a atividade ainda mais especial.

“Nos grupos temos, mães, avós, mulheres que batalharam a vida inteira. Proporcionar um tempo para elas, com um café da manhã e momentos de lazer é essencial”, ressaltou.

Alegria

Para dona Esmeraldina da Silva Batalha, 77, uma das mais idosas dos grupos, atividades como esta são terapêuticas.  Ela frequenta o Parque do Idoso, zona Centro-Sul, duas vezes por semana e vai todos os dias ao CEL da Santa Etelvina. “Essa é minha vida a mais de dez anos. Não sei viver de outra forma”, contou.

Já para dona Valdina Monteiro,84, comemorar o dia da mulher fazendo atividades é uma vitória. “Eu estava afastada do grupo por problemas de visão. Agora, que fiz a cirurgia, voltei a enxergar e estou comemorando aqui o fato de ser mulher e de estar viva”, destacou.

Publicidade
Publicidade