Publicidade
Cotidiano
BIOTECNOLOGIA

Ifam deve integrar ações do novo CBA aos seus 12 campus do interior do Amazonas

Expectativa do Instituto é estimular pesquisa em biotecnologia entre estudantes do interior do Estado através do CBA 10/12/2018 às 09:56
Show dd3db8ad 1854 45b5 ad06 68dcb2f78e81 658fdd45 a4f5 480d bb22 9273bd3e2300
Foto: Divulgação
acritica.com

Estudantes, professores e pesquisadores ribeirinhos terão mais espaço na área de pesquisa em biotecnologia na Amazônia. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), que integra a Aliança ABio, selecionada para gerir do Centro de Biotecnologia da Amazônia, quer inserir as ações de pesquisa e empreendedorismo do novo CBA no universo acadêmico dos 12 campus espalhados no interior do estado.

Com o início das atividades do novo CBA prevista para 2019, a expectativa é aproveitar a estrutura de ensino e pesquisa do Ifam para estimular a formação de conhecimento sobre biotecnologia em 12 municípios. Devem ser beneficiados estudantes e professores com atividades de intercâmbio de conhecimento sobre biotecnologia, incubação de projetos de pesquisa e empreendedorismo locais.

“O Ifam tem iniciado uma articulação muito forte com várias instituições, como Ufam, UEA, e Aliança ABio para desenvolver a formação de conhecimento técnico qualificado no Amazonas. Nós queremos integrar nossas redes, fortalecer o desenvolvimento de ciência com instituições amazonenses, formadas por gente daqui, valorizando nosso conhecimento”, explica  o pró-reitor de pesquisa, pós graduação e inovação do Ifam, José Pinheiro Neto.

Uma das primeiras organizações a discutir a formação da Aliança, o Ifam vê como ação estratégica alinhar as ações de pesquisa em biotecnologia da Amazônia à realidade acadêmica no interior do Amazonas. A ideia é promover a inserção tecnológica de seus estudantes e professores no universo da biotecnologia, dando oportunidades para pesquisadores e empreendedores.

“Como esse novo modelo que construímos, a ideia é que se abram espaços para que se fomente pesquisas no interior. Essa capilaridade da ABio será muito útil para o desenvolvimento sustentável, principalmente no interior”, explica Pinheiro.

Atualmente, além de três unidades em Manaus, o Ifam tem campus em São Gabriel da Cachoeira, Coari, Lábrea, Maués, Parintins, Tabatinga, Presidente Figueiredo, Itacoatiara, Humaitá, Manacapuru, Eirunepé e Tefé. O Instituto tem um universo acadêmico de 25 mil pessoas, entre estudantes, professores e pesquisadores.

Aliança amazonense pela bioeconomia

A Aliança ABio é formada por instituições de referência em PD&I na Amazônia: Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Instituto Leônidas e Maria Deane (Fiocruz Amazônia), Centro de Educação Tecnológica do Estado do Amazonas (Cetam), Fundação Paulo Feitoza (FPF), Universidade Nilton Lins (UniNiltonlins), Rede de Inovação e Empreendedorismo da Amazônia (Rami), Associação BioTec-Amazônia, Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) e Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia legal (Bionorte).

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade