Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020
DATAFOLHA

Imagem negativa de políticos afeta renovação de candidatos no Brasil

Pesquisa Datafolha mostra que a parcela de brasileiros que consideram o trabalho de congressistas ruim ou péssimo é de 45%. Membros da bancada amazonense tentam explicar fenômeno



BANCADA_8A523717-7A89-4440-B998-06A412991A06.JPG Foto: Divulgação
20/12/2019 às 07:21

Representantes da “velha” e da “‘nova”’ política na bancada federal do Amazonas têm explicações diferentes sobre a reprovação da classe por quase metade da população brasileira. A atuação dos parlamentares no Congresso Nacional não tem correspondido às expectativas de grande parte do eleitorado.  De acordo com pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisa Datafolha na quarta-feira, 45% dos entrevistadas consideram o trabalho dos deputados e senadores ruim ou péssimo.

O deputado federal Delegado Pablo Oliva (PSL), que está no primeiro mandato eletivo, disse que a Câmara dos Deputados passou por uma renovação e, o percentual de rejeição dos parlamentares pela população se deve à “velha política”. Em 2018, 513 deputados federais foram eleitos no Brasil, sendo que o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Social Liberal (PSL) são os partidos que apresentam o maior número de deputados na Câmara, com 53 parlamentares em cada sigla.



“Tivemos uma renovação de quase metade da Câmara. No entanto, a velha política ainda continua viva e, como toda mudança, será gradativa. Continuo trabalhando firme para entregar a resposta que o povo amazonense espera”, afirmou Pablo Oliva.

Para o deputado federal Bosco Saraiva (SD), que já foi deputado estadual, presidente da Câmara Municipal de Manaus e vice-governador do Amazonas, o resultado do pleito de 2018 trouxe pessoas despreparadas para ocupação de cargos no Congresso. Ele afirmou, ainda, que enquanto o parlamento não investir nas resoluções de problemas apresentados nas áreas de saúde e segurança, a população não vai emitir outro juízo de valor.

“Nos últimos anos a população tem se revelado avessa à classe política do Brasil, vide o resultado das eleições de 2018 quando uma pá de “neófitos em política” venceram eleições tanto para o Executivo quanto para o legislativo. E os graves problemas brasileiros de saúde, segurança e educação, se não tiverem solução por parte dos governos, será um quadro inalterado”, disse Bosco Saraiva.

Expectativa

A vendedora autônoma Nilza Santiago disse à reportagem que não está satisfeita com o desempenho dos deputados federais, pois esperava que os parlamentares trabalhassem na elaboração de leis que beneficiassem a população. “Acredito que poderiam elaborar projetos relacionados à economia e banir os policiais corruptos para trazer melhorias para a segurança da população”, reivindicou.

Agenda produtiva

Segundo o senador Eduardo Braga (MDB) o resultado da pesquisa do Datafolha demonstra que a concepção negativa que a população brasileira tem  em relação à classe política  faz parte do imaginário coletivo.

“Tudo o que você mencione em relação à política a reação é contrária. E para reverter isso são necessários trabalho, transparência, sinceridade na relação, compreensão e uma agenda cada vez mais produtiva”, disse o parlamentar.

População acompanha os mandatos

O deputado federal José Ricardo (PT) avalia que a população está certa em questionar atuação dos parlamentares e afirmou que, no Congresso, foi o parlamentar que mais se pronunciou a favor do Amazonas. “Vejo que as pessoas estão acompanhando o meu mandato. Cada parlamentar eleito tem a responsabilidade de trabalhar a atender a expectativa da população que muito espera dos políticos”, disse o deputado.

De acordo com o deputado federal Marcelo Ramos (PL), existe uma campanha, nas redes sociais, contra o parlamento e contra a política. Para o deputado, o Congresso Nacional apresentou melhorias ao Brasil com aprovação de leis.

“Reforma da Previdência, Lei da Liberdade Econômica, Lei de Informática são apenas alguns exemplos dos serviços prestados ao País. A visão equivocada do parlamento é construída por informações distorcidas nas redes sociais. Quem conhece o trabalho dos deputados, respeita!”, afirmou o parlamentar.

O senador Plínio Valério (PSDB) disse à reportagem que o Congresso Nacional foi atuante em 2019 e, segundo ele, trabalhou mais que o Poder Executivo. O senador disse que parte da população ainda desconhece as atribuições dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.

“Eu acho que essa imagem negativa que a população tem dos políticos é coisa do passado e a gente tem que carregar isso. O Congresso foi quem aprovou as reformas e medidas provisórias necessárias. No que diz respeito a mim, eu vejo a reação das pessoas na rua, tirando ‘selfies’ e satisfeitas com o meu trabalho”, afirmou Plínio.

Discurso e Prática

O cientista político Helso Ribeiro afirmou que a população tem um desgaste com relação à democracia representativa porque parte dos deputados e senadores, ao serem eleitos, e não cumprem as promessas de campanha adotam posturas diferentes do que foram adotadas durante o pleito.

“A ‘onda Bolsonaro’ trouxe uma renovação grande no Congresso Nacional e parte da população achava que observaria mudanças estruturais de comportamento. Ocorreram, porém, alguns comportamentos, corriqueiros no Congresso, que geram a desconfiança da população. Eu atribuo isso a um desalinho do discurso com a prática”, disse o especialista.
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.