Publicidade
Cotidiano
Notícias

Impacto do aumento da gasolina em Manaus será de R$ 0,02, segundo empresários

Aumento só deve chegar às bombas a partir da próxima semana, dizem donos de postos de combustíveis de Manaus 21/01/2015 às 10:39
Show 1
A partir de 1° de fevereiro, o governo tributará gasolina em R$ 0,22 e o diesel em R$ 0,14 por litro via PIS/Cofins
Priscila Rosas Manaus (AM)

Empresários do setor de combustíveis calculam que o impacto das recentes medidas do governo no preço médio da gasolina em Manaus será de R$ 0,02, elevando o preço médio do litro para R$ 3,10. O preço atual da gasolina está em torno de R$ 3,08. A princípio, a diferença parece ser mínima, mas não é. Qualquer alteração de preço é significativa. “O consumidor sente a diferença de R$ 0,02 ou R$ 0,03. Principalmente no final do mês. Ele costuma ser bem exigente com os aumentos”, sinaliza o dono da DRA Derivados de Petróleo, Diego Roberto Afonso, há 10 anos no ramo.

“É uma cadeia. O governo aumenta e é repassado para as distribuidoras que, por sua vez, repassam para a gente e nós repassamos ao consumidor”, explica. Segundo ele, foram feitos dois reajustes de distribuidoras locais de derivados de petróleo desde o inicio do ano e nenhum aumento foi feito.

“Se meu vizinho não altera, eu também não faço isso. O aumento sacrifica muito a nossa venda”, ressalta. Ele ainda alerta que o motorista do interior pagará mais pela gasolina porque, com o aumento, a logística de transporte acaba ficando mais cara.

“O sindicato não trata de preço, é o governo que determina”, enfatiza Luiz Felipe Moura Pinto, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes, Álcool e Gás natural, ao ser perguntado sobre o aumento nos postos da capital.

Para o gerente-geral da distribuidora Equador Petróleo, André Borges, o repasse deverá ser divulgado pela Petrobras no final do mês. “O aumento será repassado de acordo com o percentual anunciado pelo governo”, garante.

Procurada pela reportagem, a Petrobras informou por meio de nota que é responsável apenas pelos preços na refinaria e que a responsabilidade do preço final do produto é do sindicato.

Por decreto, a partir de 1° de fevereiro, o governo tributará gasolina em R$ 0,22 e o diesel em R$ 0,14 por litro via PIS/Cofins. Assim, espera-se elevar a arrecadação em R$ 20,63 bilhões em 2015.

Reajuste vai impactar no custo da CCC

A elevação do preço do diesel, de acordo com as medidas fiscais anunciadas pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pode aumentar os custos da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC). A CCC é um encargo que subsidia termelétricas dos sistemas isolados da região Norte do País e que integra a Conta de Desenvolvimento Econômico (CDE). As informações são da Reuters.

O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e relator do orçamento de 2015 da CDE, Tiago Correia, disse que “talvez” o aumento da tributação sobre combustíveis tenha impacto porque ainda analisará se há algum tipo de isenção do PIS/Cofins ou da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) no diesel usado em termelétricas.

Publicidade
Publicidade