Publicidade
Cotidiano
Economia

Índice de empregos no Polo Industrial de Manaus volta a crescer

Em junho, houve alta de 0,38% no número de empregos, interrompendo 19 meses de queda no indicador 17/08/2016 às 10:08
Show 1122961
Em junho, havia 82.721 trabalhadores no PIM, entre efetivos, temporários e terceirizados, alta de 0,38% sobre maio (Foto: Aguilar Abecassis)
acritica.com Manaus (AM)

A evolução da mão de obra do Polo Industrial de Manaus (PIM), em 2016, apresentou resultado positivo no mês de junho em relação ao mês anterior, interrompendo uma sequência de queda na mão de obra empregada nas fábricas da Zona Franca de Manaus. A informação é da titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Rebecca Garcia.

A superintendente, citando os Indicadores de Desempenho do PIM, explicou que houve expansão de 0,38% na contratação de mão de obra pelas indústrias incentivadas de Manaus, em junho. Em junho, havia 82.721 trabalhadores no PIM, entre efetivos, temporários e terceirizados. Um pouco mais que os 82.408 registrados em maio deste ano.

Vale ressaltar que o crescimento nos empregos deu-se, principalmente, na contratação de trabalhadores temporários, que cresceu 27% em junho, em detrimentos dos trabalhadores terceirizados, cujo índice caiu 2,2% no mesmo mês. O nível de trabalhadores efetivos permaneceu estável em 77,3 mil operários.

Com o resultado, afirmou Rebecca Garcia, “é interrompida uma série negativa que vinha desde o mês de setembro de 2014”. Rebecca lembra, porém, que na série negativa de 19 meses, apenas setembro de 2015 apresentou resultado positivo de cinco postos de trabalho criados naquele mês. A superintendente enfatizou, mais uma vez, que “A Zona Franca de Manaus está perto de entrar na fase de recuperação”.

A interrupção na sequência de quedas no índice de empregos no Polo Industrial de Manaus é motivo de otimismo para o empresariado. A expectativa é que a tendência se mantenha nos próximos meses.

Confiança

Assim como em Manaus, a expectativa de melhora tem crescido entre os empresários. Neste mês de agosto, o Índice Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu 4,2 pontos e alcançou 51,5 pontos. Com isso, após 28 meses, o indicador fica acima da linha divisória dos 50 pontos, mostrando que os empresários estão mais confiantes. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (16), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O ICEI estava abaixo dos 50 pontos desde março de 2014 e, após abril, com o andamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, começou a se recuperar. O número, porém, ainda está abaixo da média histórica de 51,5 pontos.

As grandes empresas são as mais confiantes e registraram 53,1 pontos no indicador de agosto, ante 50,7 pontos das médias empresas e 48,9 pontos das pequenas, ligeiramente abaixo dos 50 pontos.

Na avaliação do presidente da CNI, Robson Andrade, a virada do ICEI é um bom sinal. “Na medida em que as reformas sejam aprovadas, o processo de recuperação da economia deve se consolidar”, avaliou. A indústria de transformação atingiu 49,6 pontos.

Publicidade
Publicidade