Terça-feira, 20 de Abril de 2021
Artesanato indígena

Indígenas da Fundação Estadual do Índio passam a vender seus produtos pela internet por causa da pandemia

Eles buscaram as vendas online para tentar diminuir o prejuízo causado pela queda das vendas desde o início da pandemia



Sem_t_tulo_28A8ACD1-BE64-4BB7-8EB3-79EBC61FD1F4.jpg Foto: Divulgação FEI
01/03/2021 às 12:21

Artesãos do Centro do Empreendedor Indígena Yandé Muraki, mantido pela Fundação Estadual do Índio (FEI), estão criando novas estratégias e usando em seu favor as ferramentas tecnológicas para minimizar os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Diante da queda na comercialização de produtos, decorrente do momento atípico, os empreendedores buscam a Internet como instrumento para manter as vendas.

Para o artesão Yuri Magno, da etnia apurinã, novas estratégias precisaram ser traçadas em função do impacto causado pela pandemia.



“Antigamente nós tínhamos uma alta demanda de pessoas que procuravam por nossos produtos. Quando a primeira onda de Covid-19 nos atingiu, ficamos de mãos atadas, e depois de um tempo começamos a divulgar nossas vendas de produtos naturais e artesanato nas redes sociais, na modalidade delivery, obedecendo a orientação governamental. Agora, nós estamos intensificando essa venda on-line, que é como estamos nos mantendo”, conta.

O Centro do Empreendedor Indígena foi criado com o objetivo de proporcionar aos artesãos indígenas um local para produção, exposição e comercialização de seus produtos, bem como fortalecer a arte e a cultura indígena amazonense. “Yandé Muraki”, na língua nheengatu quer dizer “Nosso Trabalho”.

“O objetivo deste projeto é fomentar e atender o artesão indígena autônomo. A partir dele, as associações poderão divulgar seus artesanatos, produtos medicinais, e de culinária. Isso valoriza e promove o empreendedorismo indígena amazonense”, explicou o diretor técnico da FEI, Fabrício Corrêa.

O diretor acrescenta que o centro também deu apoio aos artesãos atingidos pela queda no comércio decorrente da situação atual. “Nesse período de pandemia, muitas pessoas foram afetadas, e principalmente quem vive do comércio. Para diminuir o impacto negativo da pandemia, a fundação doou 25 cestas básicas para esses artesãos a fim de atender uma parte das necessidades deles”, acrescentou o diretor.

Serviço – O Centro do Empreendedor Yandé Muraki fica na rua Monsenhor Coutinho, 259, Centro, zona sul de Manaus. Por conta da suspensão de atividades ao ar livre, como medida de prevenção da disseminação do novo coronavírus, os artesãos estão atendendo pedidos somente pelo telefone (92) 99365-3051, pelo e-mail centroyandemuraki@gmail.com ou ainda pelas redes sociais Instagram (https://www.instagram.com/loja_yandemuraki/) e Facebook (https://www.facebook.com/YandeMuraki), disponíveis também para informações adicionais.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.