Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
DUAS RODAS

Pelo 5º ano consecutivo, indústria de Duas Rodas fecha 2016 em queda

A expectativa de uma recuperação no segundo semestre deste ano não se concretizou para a indústria de Duas Rodas, fechando 2016 com queda na produção e venda.



linha_de_moto_Honda__10_.jpg A Honda é líder do mercado brasileiro e espera uma recuperação em 2017. Foto: Divulgação
16/12/2016 às 05:00

A expectativa de uma recuperação no segundo semestre deste ano não se concretizou para a indústria de Duas Rodas, fechando 2016, pelo quinto ano consecutivo, com queda na produção e venda. A projeção de 2017 indica crescimento nas exportações para o setor.

Dados apresentados ontem pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), em entrevista coletiva em Manaus, evidenciam a queda de 35,7% no varejo de motocicletas do Amazonas, considerando o acumulado do ano de 2016.

A produção de motocicletas chegou a 854.839 unidades em 2016, número bastante inferior aos 1,2 milhões fabricadas em 2015. De acordo com o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, o patamar era inesperado, uma vez que a previsão era atingir 1,09 milhão, o que acarretou um baque na indústria. “O cenário político-econômico está muito incerto e isso é o ponto de partida de tudo”, destacou Fermanian.

Ajuste no quadro de funcional das empresas é uma das medidas apresentadas por Fermanian para que o próximo ano a economia do setor de Duas Rodas melhore. “Cada marca adotou um plano diferenciado da outra, então nós não temos um número se irá ou não ajustar, mas pelos indicadores isso será necessário”, revelou.

Exportações

A projeção para o próximo ano é que haja um aumento de 66,1%. Fermanian explica que o crescimento se deve pelos ajustes técnicos realizados por um dos exportadores, em 2015, para a ampliação da capacidade produtiva.

O mercado consumidor das exportações é a América do Sul, 70% correspondem à Argentina.  “Ganhar competitividade, principalmente em custo para que a gente possa nos próximos anos crescer ainda mais no mercado externo”, afirmou Fermanian.

Líder de mercado

A empresa Honda é líder, com 80% do mercado brasileiro espera uma recuperação gradativa. O diretor executivo da Honda, Paulo Takeuchi, ressalta que a estabilidade é o primeiro passo. “Acreditamos que chegamos ao fundo do poço. Então, qualquer número que venha a ser projetado para 2017 será melhor do que esse ano”, declarou. Para Takeuchi, o que impede o crescimento mais acentuado são o nível de confiança do consumidor e os financiamentos e a dificuldade do crédito para financiamento dos produtos.

Empregabilidade

 A fabricação nacional de motocicletas está entre as seis maiores do mundo. Já no segmento de bicicletas, o Brasil se encontra na quarta posição mundial. No total, as fabricantes geram aproximadamente 16 mil empregos diretos no PIM.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.