Publicidade
Cotidiano
Notícias

Industrial do Ano pela Fieam, presidente da Samsung da Amazônia concede entrevista

Para A CRÍTICA, Chun Jae Lee falou sobre sua visão empresarial, inovação e estratégias da Samsung da Amazônia 24/05/2015 às 19:30
Show 1
Chun Jae Lee, presidente da Samsung da Amazônia
ACRITICA.COM ---

Comandando a segunda indústria que mais gera  empregos no Amazonas, com cerca de sete mil funcionários, o presidente da Samsung Eletrônica da Amazônia, Chun Jae Lee, 55 anos, recebeu na última semana o título de Industrial do Ano, concedido pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), em solenidade no Clube do Trabalhador.

O engenheiro eletrônico, nascido na cidade sul-coreana Busan, desde 1984 construiu sua trajetória profissional na multinacional. Confira entrevista como Chun Jae Lee tem contribuído para o fortalecimento do segmento eletroeletrônico do Polo Industrial de Manaus (AM)

A capacitação de jovens e o desenvolvimento de softwares faz parte da estratégia da Samsung?

Na Samsung temos muito orgulho em como usamos nossa tecnologia para fazer o bem. Pensamos muito sobre isso e identificamos que, para melhorar o mundo, precisamos fazer o que sabemos de melhor e aplicar isso a alguns dos problemas globais. No ano passado, por exemplo, a empresa estruturou, em escolas da rede pública, diversas salas de aula do projeto Samsung Smart School. Também no ano passado, a empresa implantou o Centro de Treinamento e Capacitação Samsung Ocean, por meio de parceria com a UEA. Em apenas um ano de atividade, o centro já atendeu mais de 8 mil estudantes. Com a UEA, a Samsung também mantém parceria na oferta de cursos de especialização para engenheiros que atuam no Polo Industrial de Manaus. Com o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologia Eletrônica e da Informação (Ceteli), da UFAM, a Samsung desenvolve o Programa de Formação Complementar, para alunos de graduação e pós-graduação.

A crise econômica vem reduzindo o consumo de eletroeletrônicos em todo o mundo. Como a Samsung enfrenta esse cenário?

Nossos investimentos em pesquisa e desenvolvimento sempre foram elevados e isso tem tornado a companhia cada vez mais dinâmica e competitiva. Os investimentos da Samsung em P&D são da ordem de US$ 40 milhões por dia e um quarto dos nossos funcionários se dedica a essa área. No Brasil, temos um centro de inovação em Campinas e outro aqui em Manaus. Na capital amazonense também temos o Centro de Treinamento e Capacitação Samsung Ocean, que promove cursos para desenvolvedores e curadoria de projetos. Os investimentos em inovação são uma das prioridades da Samsung no Brasil e isso faz com que nossos produtos atendam as necessidades e interesses dos consumidores.

A empresa é uma das maiores da Zona Franca. Há planos para ampliar as instalações?

A Samsung aposta, sempre, no mercado brasileiro, no qual está presente há 30 anos e acredita no potencial de Manaus. Há menos de três anos, a fábrica local passou por uma grande expansão, com investimentos pesados em infraestrutura e equipamentos de última tecnologia. Hoje, a Samsung fabrica em Manaus 9 linhas de produtos que atendem o mercado brasileiro. No ano passado, iniciamos a produção das TVs com design curvo, a primeira do mercado com essa característica, além de trazermos para o País o smartphone Galaxy S5, top de linha em sua categoria, no mundo. Neste ano, já iniciamos a produção dos recém-lançados Galaxy S6 e S6 edge. A fábrica da capital amazonense produz desde câmeras fotográficas e TVs, a tablets, smartphones, home theaters e monitores, dentre outros produtos.

A empresa vem acompanhando a reforma tributária que poderá mudar os termos de competitividade da Zona Franca.

A Samsung vem acompanhando essa discussão de perto, até porque são decisões que têm impacto direto na viabilidade econômica e financeira da indústria local. Minha expectativa é que se chegue a uma solução que promova a harmonia entre os estados. Uma solução que não cause ranhuras nas relações comerciais e não atrapalhe a competitividade industrial. É um tema crítico, que exige sensibilidade e atenção de todos que participam dessa discussão e decisão. Mas estou otimista de que chegaremos a um bom termo.

Como o senhor recebe esta homenagem da Fieam?

Recebi não como uma homenagem pessoal, mas como um reconhecimento ao trabalho que a Samsung desenvolve na região e no estado. Temos orgulho de fazer parte da história do País, da história do Amazonas. A Samsung tem enorme paixão pela excelência e um firme compromisso em desenvolver os melhores produtos e serviços do mercado. Nós temos orgulho em liderar os processos de inovação em nossa indústria e de levá-lo às comunidades onde estamos inseridos, colaborando para o crescimento em empregabilidade, educação e desenvolvimento. Só tenho a agradecer a esse estado que nos acolheu e às pessoas que aqui vivem, com as quais aprendemos diariamente.

Publicidade
Publicidade