Publicidade
Cotidiano
IRREGULAR

Após explosão de barco em Anori, Ipaam multa responsável em R$ 220 mil

Segundo o órgão, homem não tinha permissão para vender combustíveis a barcos em posto flutuante. Barco explodiu enquanto abastecia 27/10/2017 às 12:18 - Atualizado em 27/10/2017 às 12:34
Show miguel
Várias pessoas ficaram feridas por conta do acidente no município (Foto: Miguel Pacheco)
acritica.com Manaus (AM)

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) aplicou multas que somam R$ 220 mil à empresa responsável pelo combustível que explodiu em uma embarcação no último dia 13, no município de Anori, e causou a destruição de outros três barcos, além de deixar pessoas feridas. As multas foram aplicadas em virtude de o responsável não ter autorização ou licença ambiental do órgão competente para a comercialização de derivados de petróleo no pontão (posto flutuante) que receberia o combustível e por não ter autorização para transbordo do produto.

Além das multas, todas as atividades do pontão foram embargadas pela fiscalização no Ipaam. As multas foram aplicadas conforme o artigo 72 da Lei de Crimes Ambientais n° 9.605/98 e com o artigo 3° do Decreto Federal 6.514/08.

A fiscalização constatou que o acidente ocorreu na operação de transbordo efetuado de forma inadequada e sem autorização. A atividade foi realizada pelo responsável por um pontão na orla da Anori, que também é proprietário do posto de combustíveis em terra de onde foi retirada a gasolina. O produto foi transportado em um veículo, contendo quatro bombonas com capacidade para mil litros cada, do posto de combustível em terra até a embarcação de madeira constatada como inapropriada para o transporte de inflamáveis.

Os quatro mil litros de gasolina seriam transportados para um pontão na orla do município. O posto em terra possui processo de licenciamento no Ipaam e licença de operação emitida em setembro de 2017, com validade de quatro anos.

Ao concluir o transbordo da gasolina, o responsável pela condução deu partida no motor da embarcação, o que gerou fagulhas que, em contato com gases inflamáveis, causaram a explosão. Parte do combustível foi levada pela água e a outra consumida pelo fogo.

Com base nos fatos, a fiscalização lavrou auto de infração com multa simples de R$ 100 mil à empresa responsável pelo pontão que receberia o combustível, por comercializar derivados de petróleo sem autorização ou licença do órgão competente, e auto de infração com multa simples de R$ 120 mil por fazer funcionar a atividade de transbordo de combustível de forma inadequada e sem as devidas licenças do órgão ambiental competente. 

LEIA MAIS

Dois feridos de explosão em Anori estão em estado grave no 28 de Agosto

Vítimas de explosão em Anori seguem com tratamento na capital e estado clínico estável

Vítimas de explosão em Anori seguem estáveis e recebendo cuidados médicos

Publicidade
Publicidade