Publicidade
Cotidiano
MAUS CAMINHOS

Irmão de José Melo e ex-secretário de Saúde Pedro Elias são novamente presos pela PF

As novas prisões ocorreram após decisão do juiz da 4ª Vara Federal, que aceitou recursos contra decisão anterior que havia dado prisão domiciliar aos dois 09/02/2018 às 09:54 - Atualizado em 09/02/2018 às 12:46
Show 151818340743785
Foto: Arquivo A Crítica
Janaína Andrade Manaus (AM)

Presos durante a segunda fase da operação Maus Caminhos e denunciados por formação de organização criminosa que desviou cifras superiores a R$ 110 milhões da Saúde no Amazonas, o irmão do ex-governador José Melo e ex-secretário de Administração (Sead), Evandro Melo, e o ex-secretário de Saúde (Susam), Pedro Elias, foram presos novamente na manhã desta sexta-feira (9) pela Polícia Federal (PF).
 
As novas prisões ocorreram após uma decisão da juíza da 4ª Vara Federal, onde tramitam os processos da Operação Maus Caminhos e suas fases. Na decisão, a juíza Ana Paula Serizawa aceitou um recurso interposto contra decisão anterior que concedeu a prisão domiciliar aos dois. No recurso, foi restabelecida a prisão anteriormente decretada. No entendimento da relatora do processo, não cabe a concessão de prisão domiciliar, mas sim prisão preventiva.
 
Evandro Melo, preso preventivamente pela primeira vez no dia 13 de dezembro de 2017, na deflagração da operação Custo Político – segunda fase da Maus Caminhos – havia sido beneficiado com a prisão domiciliar no dia 31 de janeiro. A prisão preventiva dele foi substituída para regime domiciliar após determinação do Tribunal Regional Federal de Brasília (TRF1). A decisão foi assinada na última terça-feira (30) pelo juiz federal Bruno César Bandeira Apolinário, do TRF1 de Brasília. A mesma decisão foi aplicada pelo magistrado no caso de Pedro Elias, porém o ex-secretário só deixou a cadeia no dia 1 de fevereiro.

 
Anteriormente a defesa de Evandro Melo havia sustentado que a presença dele “seria imprescindível, dado o delicado estado de saúde em que se encontra a sua esposa”.  No entanto, a juíza destaca que o relatório médico juntado ao processo demonstra que a esposa conta com amparo de outros familiares e de uma equipe multiprofissional 24 horas.
 
Na decisão, a juíza federal destaca que a prisão domiciliar de Pedro Elias “não encontra amparo legal. A suposta falta de segurança no sistema prisional amazonense por si só não motiva a prisão domiciliar do recorrido”. Ainda conforme decisão, as alegações da defesa ficam no “campo das suposições”. 
 
Na manhã desta sexta (9), após serem presos, Evandro Melo e Pedro Elias foram levados para a sede da Polícia Federal e, em seguida, deverão ser encaminhados para fazer exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). A dupla volta a ficar presa no Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), no Km 8 da rodovia BR-174, onde também estão o ex-secretário da Fazenda (Sefaz) Afonso Lobo e o ex-governador José Melo.

Publicidade
Publicidade