Publicidade
Cotidiano
Notícias

Irmãos suspeitos de assassinar casal com requintes de crueldade são presos, na Zona Norte

Terceiro envolvido está foragido. Os dois presos disseram que no dia do crime estavam bêbados e sob forte efeito de drogas e se lembram de nada que aconteceu naquele dia 11/09/2015 às 15:02
Show 1
A dupla, depois que foi presa por policiais militares na tarde desta quinta-feira (10), achou graça
Kamyla Gomes Manaus

Dois irmãos - José Raimundo de Souza, de 22 anos, e um menor de idade de 17 anos - foram presos em via pública, na tarde desta quinta-feira (10), por volta de 17h, em uma invasão no bairro Parque das Garças, Zona Norte de Manaus. Os dois são apontados como suspeiros de assassinar com requintes de crueldade um casal em maio deste ano.

De acordo com o cabo Átila Silva, da 20° Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os dois estavam foragidos desde o dia do crime. Outro suspeito de participar do crime ainda segue foragido.

“Eles já tinham mandado de prisão expedido. Hoje, a família ligou denunciando que os irmãos estavam escondidos nessa invasão. Foi no momento que nos deslocamos para o local e realizamos a prisão. Eles disseram que não se lembram de nada daquele dia do crime”, informou o cabo.

Ainda conforme o policial, os dois disseram que estavam bêbados e sob forte efeito de drogas. “Dentro desse ramal em que o casal foi morto, funciona uma boca de fumo que pertence a esse Diego, que permanece foragido. Esses dois presos hoje não disseram onde ele possa estar”, declarou.

O delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, contou que a equipe já estava em deslocamento para o 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP), para onde a dupla foi conduzida após a prisão.

Entenda o caso

Na manhã do dia 9 de maio deste ano, um casal foi cruelmente assassinado por três homens em um sítio, na comunidade Novo Amanhecer, localizado no quilômetro 21 da BR 174 (Manaus – Boa Vista). José Fagner de Oliveira, de 30 anos, foi morto com, pelo menos, 20 facadas no peito, abdômen e pescoço e a companheira Gracieide Cardoso da Silva, de 21, foi torturada, espancada e estrangulada.

O filho do casal de 10 anos presenciou toda a ação dos criminosos. Consta no relatório do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), que as vítimas trabalhavam como caseiros do sítio e, segundo relatos de parentes, no dia anterior ao crime, três homens teriam tentado passar por dentro do sítio, quando foram advertidos pelo casal.

Publicidade
Publicidade