Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021
primeiro semestre

Isolamento contra pandemia ajudou a reduzir casos de outras doenças no AM

Menor exposição contribuiu para diminuir os índices de novos casos de malária e acidentes com animais peçonhentos



zCD0418-3_p01_D06276CE-F445-4784-B4F7-9D8BAFC3E5CF.jpg Foto: Divulgação
20/07/2020 às 09:01

O isolamento social e a baixa exposição a ambientes em meio à pandemia do novo coronavírus foram propícios para a queda significativa no número de casos de doenças como malária e acidentes por animais peçonhentos no Amazonas.

Para se ter ideia, o número de casos de malária diminuiu em 17,55% no Estado, na comparação entre os primeiros semestres de 2019 e de 2020. Já acidentes por animais peçonhentos, a redução é de 22,75%, se comparados janeiro a maio deste ano com o mesmo período do ano passado.



Sobre os casos de malária, de janeiro a junho deste ano, foram registrados 24.397 casos confirmados da doença, contra 29.589 no mesmo período do ano passado. Já acidentes por animais peçonhentos, de janeiro a maio deste ano, o Estado contabilizou 1.249 casos enquanto no mesmo período do ano passado, os registros chegaram a 1.617 casos.  Os dados foram divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

De acordo com a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, a redução da malária não foi exclusivamente associada ao isolamento social, mas também outras ações de vigilância que não foram interrompidas mesmo com a pandemia da Covid-19.

Conforme ela, o Amazonas iniciou o período sazonal da doença, que corresponde de julho a outubro. “É importante intensificar as ações de controle por meio de busca ativa de casos, oferta de diagnóstico oportuno e imediato com ação integrada de controle vetorial”, afirmou.

São Gabriel da Cachoeira foi o município amazonense que mais apresentou casos novos de malária, 4.779, seguido por Manaus com 2.296 registros.

Animais peçonhentos

Em todo o Amazonas, foram registrados sete óbitos decorrentes de acidentes com serpentes no período de janeiro a maio de 2020. l Manaus continua sendo a cidade com maior quantidade de registros dos acidentes, com 136 casos somente em 2020.

A maioria dos acidentes permanece sendo causado por serpentes: foram 917 acidentes apenas desse tipo de animal este ano, representando 73,4% dos registros do total de 2020. Em seguida na lista dos maiores causadores dos acidentes, vêm escorpiões com 182 casos, aranhas que contabilizam 73 ocorrências, abelhas com 11 casos e lagartas com 9 situações.

De acordo com a FVS-AM, os registros de acidentes por animais peçonhentos apontam para a ocorrência dessas espécies nos 62 municípios do Amazonas. Segundo o órgão os ataques estão relacionados à subida do nível dos rios no Estado.

Animais peçonhentos

Em todo o Amazonas, foram registrados sete óbitos decorrentes de acidentes com serpentes no período de janeiro a maio de 2020. l Manaus continua sendo a cidade com maior quantidade de registros dos acidentes, com 136 casos somente em 2020.

A maioria dos acidentes permanece sendo causado por serpentes: foram 917 acidentes apenas desse tipo de animal este ano, representando 73,4% dos registros do total de 2020. Em seguida na lista dos maiores causadores dos acidentes, vêm escorpiões com 182 casos, aranhas que contabilizam 73 ocorrências, abelhas com 11 casos e lagartas com 9 situações.

De acordo com a FVS-AM, os registros de acidentes por animais peçonhentos apontam para a ocorrência dessas espécies nos 62 municípios do Amazonas. Segundo o órgão os ataques estão relacionados à subida do nível dos rios no Estado.

Trabalho integrado no Amazonas

O médico veterinário Deugles Cardoso, da Gerência de Zoonoses da FVS-AM, explicou que o trabalho de prevenção e atendimento à população é realizado de forma integrada entre os municípios e o  Estado.

“Enquanto o Amazonas realiza o levantamento de dados e abastece com insumos necessários para o atendimento, o município trabalha com a assistência aos pacientes acidentados e a promoção de medidas de prevenção e orientação à população”, detalhou.

Para os acidentes com animais peçonhentos, a FVS-AM recomenda ao ferido que busque atendimento médico na unidade de saúde mais próxima de forma imediata. Em Manaus, os atendimentos de pacientes vítimas de acidentes por animais peçonhentos são realizados na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), que é referência de tratamento com soroterapia para esses tipos de acidentes. Os números para contato telefônico da instituição são (92) 2127-3555, 2127-3401 e 2127-3519.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.