Publicidade
Cotidiano
Notícias

JAC Motors lança modelo de carro elétrico de alta tecnologia

A autonomia do veículo é de até 170 km e a recarga das baterias dura 12 horas 07/03/2015 às 12:40
Show 1
Em tempos de gasolina a peso de ouro, a oferta de carros elétricos no mercado começa a ser uma possibilidade considerada pelas montadoras
Jornal A CRÍTICA ---

Mostrado no Salão de São Paulo, no fim do ano passado, o modelo elétrico IEV é a aposta da JAC para mostrar ao mundo, e também aos brasileiros, que seus veículos têm tecnologia de ponta. Baseado no J3 Turin, o veículo não está à venda no País, mas a marca trouxe algumas unidades que, de vez em quando, podem ser vistas “desfilando” nas ruas da capital.

O motor elétrico é alimentado por baterias de lítio. São 42 kw, cerca de 57 cv e autonomia de até 170 km. O torque de 17,3 mkgf é entregue de modo instantâneo e a velocidade não passa dos 100 km/h.

A rotina com um veículo elétrico é peculiar. O condutor tem de se acostumar a recarregá-lo com mais frequência do que para em um posto de gasolina. Em uma tomada convencional de 220 volts, são 12 horas para a recarga completa da bateria. No modo rápido, auxiliado por uma espécie de poste portátil, são seis.

Ao dar a partida, é tanto silêncio que a luz verde no painel com a palavra “ready” (pronto, em português) é o único sinal de que o carro está ligado. Ao colocar a alavanca do câmbio na posição Drive e pisar no pedal do acelerador, o ponteiro no lado esquerdo do painel já mostra quanta energia a bateria ainda tem. Do lado direito, um mostrador exibe o consumo instantâneo do carro, que se mostra como boa opção para circuitos urbanos.

Em termos de dirigibilidade, os “contras” são os mesmos do J3 a gasolina. A direção é extremamente leve, mesmo em altas velocidades. Falta também precisão no sistema, que apresenta leve folga.

Mercedes-AMG C63 chega às lojas em julho


A versão S, de topo, do Mercedes-AMG C63 estreia neste mês na Europa e em julho no Brasil com motor V8 biturbo a gasolina de 510 cv. O câmbio é automatizado de sete marchas. O preço acima dos R$ 600 mil. No fim do ano chega a opção mais simples, que se diferencia por detalhes, como o desenho das rodas, o acabamento interno e a ausência da letra “S” no nome, o que significa que seu “vê-oitão” tem “apenas” 476 cv.

As configurações esportivas vão se juntar às irmãs comportadas do sedã alemão, cuja nova geração estreou no País no fim do ano passado. Para essas, que também fazem parte da linha 2015, há os quatro-cilindros 1.6 e 2.0 com potências entre 156 e 211 cv.

Revelado durante o Salão de Paris, em outubro de 2014, o C 63 S traz o mesmo trem de força do AMG GT, modelo de topo da gama de esportivos do grupo. Na prática, o três-volumes pode acelerar de 0 a 100 km/h em 4 segundos - a velocidade máxima é limitada a 250 km/h, mas um pacote opcional permite liberar toda a ferocidade do sedã e levá-lo a 290 km/h. De acordo com informações da Mercedes, o novo motor é até 32% mais econômico que o anterior.

Modelo topo de linha não sai da loja por menos de R$ 600 mil.

Publicidade
Publicidade