Publicidade
Cotidiano
Notícias

'João Branco' pode ser transferido para Catanduvas ainda nesta terça (1º), segundo a Polícia Federal

Conforme o delegado Rafael Machado, transferência do narcotraficante depende apenas de acertos logísticos, como disponibilidade de voos para o Paraná 29/02/2016 às 18:57
Show 1
João Branco desembarcou em Manaus no dia 26 em um voo comercial
Kelly Melo Manaus - AM

Encarcerado na sede da Superintendência da Polícia Federal, no Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste, desde a última sexta-feira, o narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, deve ser transferido para o presídio federal de Catanduvas (PR) até quarta-feira,02. A informação foi confirmada pela delegado da Polícia Federal, Rafael Machado, que preside o inquérito da operação “La Muralla”, que investigou e desbaratou a facção criminosa “Família do Norte” (FDN).

Machado informou que alguns detalhes ainda estão sendo acertados para a transferência do traficante, mas confirmou que isso deve acontecer, no máximo, até amanhã. “Ainda não temos horário definido, mas a transferência pode acontecer amanhã (hoje) ou na quarta, pois dependemos de disponibilidade de aeronave”, disse ele. O delegado também ressaltou que  a PF estuda realizar a transferência de João Branco em um avião da própria Polícia Federal ou em um voo comercial.

A Penitenciária Federal de Catanduvas tem celas individuais, com cerca de 7 metros quadrados, uma cama, uma pia, um sanitário, uma mesa com banquinho – todos de concreto – e um chuveiro.

João Branco desembarcou em Manaus, escoltado por policiais federais, na última sexta-feira, após ter sido preso no município de Pacaraima (RR), na fronteira entre a Venezuela e o Brasil. Na ocasião, Branco tentava entrar no país com documentação falsa, o que chamou a atenção dos policiais federais. Além dele, outros três comparsas, que faziam a “escolta” dele minutos antes,  foram presos.

Considerado um dos líderes da facção criminosa, João Branco era um dos criminosos mais procurados do Amazonas, estando na lista da Interpol em 188 países,  e estava foragido há dois anos, após ter mandado matar o delegado da Polícia Civil, Oscar Cardoso. Segundo a polícia, João Branco é um dos traficantes mais violentos e que executa seus desafetos com requinte de crueldade.

Publicidade
Publicidade