Publicidade
Cotidiano
INTERNACIONAL

Joe Jackson, pai e primeiro empresário de Michael Jackson, morre aos 89 anos

Joe, que morava em Las Vegas e estava afastado de boa parte da família, sofria de câncer, segundo reportagens 27/06/2018 às 15:11 - Atualizado em 27/06/2018 às 15:27
Show xjoe jackson.jpg.pagespeed.ic.a lkblapvf
Segundo reportagens, Joe Jackson sofria de câncer. (Foto: Regis Duvignau/Reuters)
Reuters

Joe Jackson, patriarca de uma dinastia musical que colocou o filho, Michael, e os irmãos do Jackson 5 no caminho do estrelato, mas que também abusou verbal e fisicamente dos filhos, morreu aos 89 anos de idade, noticiou a rede CNN, nesta quarta-feira (27). A notícia do óbito foi dada primeiramente pelo site TMZ. 

Joe, que morava em Las Vegas e estava afastado de boa parte da família, sofria de câncer, segundo reportagens. “Joe era um homem forte que reconheceu suas próprias imperfeições e heroicamente entregou seus filhos e filhas ao estrelato pop mundial”, disseram John White e John McClain, responsáveis pelo espólio de Michael Jackson, em comunicado, confirmando a morte.

Joe estava rompido com Michael desde antes da morte do cantor, em 2009, e também com a esposa, Katherine, e muitos dos filhos, entre eles a também consagrada cantora Janet.

O patriarca, que nasceu em 26 de julho de 1928 em Fountain Hill, no Estado norte-americano do Arkansas, tentou carreiras como boxeador e guitarrista sem grande sucesso nos anos 1950. Ele trabalhava como operador de guindaste em uma usina de aço de Gary, em Indiana, quando se deu conta do talento musical dos filhos.

Eles os batizou de Jackson 5, e o grupo, com Michael no papel precoce de vocalista principal, se tornou um dos principais nomes da música em todo o mundo graças à sua presença de palco chamativa e suas canções pop irresistíveis – mas tudo isso cobrou um preço.

Como empresário do grupo, Joe submetia os filhos a ensaios longos e controlados. Michael, que morreu em 2009 aos 50 anos de uma overdose de medicamentos, disse à apresentadora Oprah Winfrey que tinha tanto medo do pai que às vezes vomitava ao vê-lo.

Ele disse que Joe acompanhava os ensaios com um cinto. “Se você errasse durante o ensaio, apanhava”, disse Michael, segundo uma biografia de J. Randy Taraborrelli.

“Fico feliz por ter sido duro, porque vejam o que consegui”, disse Joe em uma entrevista à CNN em 2013. “Lancei meninos que todos adoravam no mundo inteiro. E eles tratavam todo mundo direito.”

Mais tarde Joe transferiu a família para uma mansão em Encino, na Califórnia. Em 1979, Michael se separou do grupo —e do agenciamento do pai— e se tornou ainda mais aclamado com os álbuns emblemáticos “Off the Wall” e “Thriller.”

Joe agenciou a filha La Toya quando ela iniciou a carreira em 1980, mas ela teve pouco sucesso – ao contrário de Janet, que ele ajudou a conquistar a fama em 1982. Todos os filhos acabaram cortando as relações profissionais com Joe, mas Janet o homenageou na premiação Radio Disney Music Awards em junho de 2018 dizendo que seu “pai incrível” a incentivou a ser “a melhor que eu consigo ser”.

Publicidade
Publicidade