Publicidade
Cotidiano
Notícias

Jogos e áreas de descanso para aumentar a produtividade de funcionários

Empresas locais ampliam uso de áreas de jogos e descanso e apontam os benefícios que a medida está trazendo às organizações. Fortalecimento das equipes é um dos ganhos 18/05/2013 às 16:55
Show 1
Desenvolvedor de softwares, Júlio Machado tenta vencer a dupla de assistentes ana Paula Horta e Thamires de Moraes na mesa de pebolim instalada na sala de jogos da FPF Tech
Priscila Mesquita Manaus

Sentar em um puff para produzir um relatório, jogar playStation com o colega de equipe e dormir no intervalo de almoço, antes de retornar ao trabalho. Até pouco tempo atrás, cenas como essas só eram vinculadas a empresas norte-americanas, como o Google, que virou referência em design e gestão. Mas as mesmas ferramentas que mudaram as rotinas dos profissionais nos Estados Unidos já são praticadas por empresas de Manaus.

Uma delas é a Fundação Paulo Feitoza (FPF Tech), centro tecnológico privado de pesquisas e desenvolvimento de projetos que emprega mais de 200 pessoas. A instituição possui uma sala de lazer agregada à copa, onde é possível assistir à TV, jogar videogame ou pebolim enquanto se faz um lanche. Outra opção para quem quer mudar a rotina do dia é a sala de jogos, local também reservado para videogames e pebolim, além de jogos de cartas e de tabuleiro.

Para os profissionais que precisam se recompor com um cochilo, há duas salas de descanso, com sofás e colchonetes. Até o fim de junho, a FPF Tech vai inaugurar a “sala relax”, com sofá, TV e colchonetes, e uma biblioteca para leitura e reuniões. Neste espaço, os encontros não serão ao redor de uma mesa, mas com um tom de informalidade dado por puffs coloridos.

Segundo a superintendente da instituição, Rosanila Feitoza, a implantação dos ambientes foi pensada para gerar maior interação entre os colaboradores, que em sua maioria possuem de 20 a 28 anos de idade e trabalham na frente do computador. “Não há como desenvolver os nossos projetos de forma isolada. É preciso trabalhar em equipe. Além disso, essa nova geração não trabalha mais por obrigação ou pelo salário, mas sim porque gosta do que faz. Então, nesses ambientes mais descontraídos e leves, eles podem ser quem são, com liberdade”, explica.

Os espaços da FPF Tech começaram a ser inaugurados no último dia 30, no aniversário de 15 anos da instituição. Mas apesar do pouco tempo de uso, Rosanila afirma que as novas salas já proporcionaram um salto qualitativo nos projetos. “Nosso foco é o bem-estar do colaborador e os resultados dos projetos. Se alguns profissionais precisam de um tempo mais longo nas salas de descanso e de lazer, para que nos apresentem o resultado esperado, eles podem e devem livremente se utilizar desses espaços”, diz.

Publicidade
Publicidade