Publicidade
Cotidiano
POLÍTICA

Jornalista Liliane Araújo assume o comando do PSD Mulher

Na semana passada, a dirigente cumpriu uma série de compromissos oficiais, como o debate com lideranças na sede do partido, em São Paulo, onde foi recebida pela coordenadora nacional do núcleo feminino, Alda Marco Antônio 19/04/2018 às 11:01 - Atualizado em 19/04/2018 às 11:46
Show liliane
(Foto: Divulgação/Assessoria)
acritica.com

A defesa de causas sociais e a luta por uma sociedade igualitária sempre foram bandeiras políticas da coordenadora do recém-criado PSD Mulher do Amazonas, Liliane Araújo. Na semana passada, a dirigente cumpriu uma série de compromissos oficiais, como o debate com lideranças na sede do partido, em São Paulo, onde foi recebida pela coordenadora nacional do núcleo feminino, Alda Marco Antônio. A agenda incluiu ainda uma visita ao diretório nacional da sigla, em Brasília.

“Já participei de outros partidos, mas nunca tive espaço. O PSD, comprovadamente, dá espaço às mulheres”, garante Liliane.

Convidada pelo presidente do PSD do Amazonas, o senador Omar Aziz, a jornalista, de 35 anos, assumiu em março a tarefa de criar e fortalecer o núcleo feminino no Estado, com a garra e a sensibilidade que caracterizam sua trajetória desde os tempos de apresentadora e repórter do Grupo Rede Amazônica, emissora afiliada à Rede Globo.

Durante 12 anos, Liliane conheceu as dificuldades enfrentadas por moradores de diversos municípios, exercendo o papel de porta-voz das comunidades e cobrando das autoridades a solução de problemas como a falta de água em Manaus. Apesar de contar com o Rio Amazonas, o maior do mundo em volume e comprimento (6.868 km de extensão), vários bairros da capital sofrem com a escassez.

“É uma cidade desenvolvida, com um polo industrial de mais de 500 empresas, não é uma província. Mas, infelizmente, ainda temos esse problema de infraestrutura, que não deveria existir. Cheguei em uma comunidade e vivi na pele o que aquelas pessoas sofriam. Tem bairro em que a água tem hora para chegar e ir embora”, conta Liliane, graduada em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Os casos de violência doméstica praticados contra mulheres também sensibilizaram a jornalista. Ela destaca um episódio de particular crueldade em que o marido chegou bêbado em casa e, além de ter espancado e ameaçado a esposa de morte, raspou a cabeça e a sobrancelha da vítima.

“Até hoje meus olhos se enchem de lágrimas. Vi muita dor, não apenas a dor física da pessoa por ter sido machucada e estar cheia de hematomas, mas a emocional”, relembra a coordenadora do PSD Mulher do Amazonas, que pretende promover um intenso trabalho de conscientização sobre o tema, por meio de palestras e encontros.

Política

A experiência com o jornalismo comunitário e o contato com a população influenciaram a decisão de ingressar na política partidária. “Foi uma vontade minha de poder ajudar efetivamente”, explica Liliane, que é pós-graduada em Língua Portuguesa pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) e acadêmico de Direito.

Em 2014, ela encarou as urnas pela primeira vez, concorrendo ao cargo de deputada estadual. Segunda mais votada do partido ao qual pertencia, ficou com a primeira suplência. Dois anos depois, disputou uma vaga para a Câmara de Manaus e, apesar de não ter sido eleita, destacou-se por ser uma candidata “ficha limpa”, sem envolvimento em escândalos de corrupção.

Consolidada como nova força política local, Liliane foi candidata a governadora em 2017, em uma inédita eleição suplementar para o Governo do Estado. Nessa disputa, superou nomes tradicionais e obteve o quinto lugar, com expressivos 64.013 votos.

A representatividade e a atuação na área social renderam à jornalista o convite para que se tornasse, em novembro de 2017, secretária executiva do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), cargo que exerceu até março. O desejo de ajudar as pessoas por meio da política não acabou, já que pretende disputar novamente o voto dos eleitores em 2018.

“Na última campanha, sofri ataques dos adversários e até fui vítima de fake news. Sei que vou enfrentar novamente, mas não vou me acovardar”, frisa Liliane.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade