Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
Notícias

José Melo anuncia linha dura contra o crime

De acordo com o Vice-governador do Amazonas, os presídios do Amazonas são “bombas com efeito retardado”, mas Estado não vai se curvar



1.jpg Falando como governador em exercício, José Melo defendeu, como solução ao problema, a construção de presídios
28/08/2013 às 09:44

O vice-governador José Melo disse, nessa terça-feira (27), que os presídios do Amazonas são “bombas com efeito retardado”, mas que o Estado não vai se curvar “para meia dúzia de contraventores”. “Toda vez que houver necessidade de atuação firme do Estado dentro das penitenciárias, isso vai ocorrer”, disse Melo, no fim da tarde de terça-feira (27), em evento na sede do Comando da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), no bairro Petrópolis, na Zona Centro-Sul.

No final de semana, em menos de 24 horas, dois presos foram mortos em uma rebelião e um motim ocorridos no Instituto Prisional Antônio Trindade (Ipat), localizado no Km 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), na Zona Leste de Manaus. Em julho, durante uma rebelião em que os presos exigiam que a quantidade de alimentos não fosse mais regulada e as revistas nas celas fossem menos rigorosas, 176 fugiram do Ipat.

Segundo o vice-governador, que está na função de governador em exercício, as penitenciárias em todo o Brasil estão superlotadas. No Amazonas, o caso estaria agravado, de acordo com Melo, por causa da “eficiência” da polícia em prender. Resultado: “a eficiência do sistema de segurança pública entupiu as nossas penitenciárias. E não tem penitenciária suficiente para a quantidade de presos. Em menos de um ano, botamos dois mil e quinhentos novos presos dentro dessas penitenciárias”, declarou Melo.

Para o vice-governador, a solução para a crise vivida no sistema penitenciário do Amazonas passa pela construção de mais presídios, e pela presença “firme” do Estado dentro dos mesmos. “O Estado não pode se curvar a uma meia dúzia de pessoas, contraventoras, que acham que dentro das penitenciárias são o Estado. Nosso governo, em nenhuma circunstância, vai permitir que a presença do Estado não esteja nas nossas prisões”, disse José Melo.

No Ipat, os mesmos detentos que comandaram a revolta de julho, fizeram 16 agentes de disciplina reféns na tarde de sábado.

Instrumentos para projeto social da PM

Pré-candidato ao Governo do Estado em 2014, o vice José Melo entregou, ontem, 700 instrumentos musicais para adolescentes de um projeto social da Polícia Militar que reúne 500 meninos com idade entre 12 e 18 anos.

Segundo o vice-governador, os instrumentos foram doados por comerciantes e empresários amigos dele. “Reunir um grupo de amigos e na verdade são eles que estão fazendo essa doação. Apenas fui um instrumento”.

A PM informou que o projeto “Formando Cidadão”, há 15 anos, atende jovens meninos em situação de vulnerabilidade social em Manaus e nos municípios de Rio Preto da Eva, Iranduba, Distrito do Cacau Pirera e Itacoatiara.

Na capital, as atividades do projeto são realizadas em 12 unidades nos Comandos de Policiamento de Área e Companhias Interativas Comunitárias. Familiares dos jovens atendidos pelo projeto participaram do ato de entrega dos instrumentos.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.