Publicidade
Cotidiano
carta aberta

José Melo diz que Braga distribuiu propina e chama Vanessa de “oportunista”

Em carta aberta direcionada a Vanessa Grazziotin, Melo diz que Braga ganhou eleição nos presídios e que Vanessa foi irresponsável em artigo publicado na Folha de S. Paulo 11/01/2017 às 19:45 - Atualizado em 12/01/2017 às 08:25
Show 20170109 bzanardo reuniao seguranca 20849
José Melo distribuiu carta aberta nesta quarta-feira (Foto: Bruno Zanardo / Secom)
André Alves Manaus (AM)

O governador José Melo (Pros) afirmou nesta quarta-feira (11) que o senador Eduardo Braga (PMDB) “enodoa” e “enlameia” o Amazonas “com propinas” e classificou a senadora Vanessa Grazziotin (PcdoB) de “oportunista”, em virtude de seu posicionamento referente à crise prisional do Estado. As declarações de Melo estão em “carta aberta” distribuída à imprensa em resposta a artigo publicado pela parlamentar comunista no jornal Folha de São Paulo, na edição de terça-feira (10).

Vanessa Grazziotin fez uso do espaço semanal que mantém no jornal paulista para criticar as ações do governo do Amazonas, diante do massacre dos detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). “A chacina ocorreu por absoluto descaso do governo com o sistema prisional e é de sua inteira responsabilidade, a qual não pode ser terceirizada ou privatizada”, diz ela a senadora, no artigo intitulado “Pavoroso, sim! Acidente, não!”  

Em sua resposta, José Melo reage de forma contundente e diz Vanessa age de maneira “irresponsável” e “oportunista”. O governador provoca: “Vossa Excelência não está só, temos outros oportunistas também com mandato, que pouco ou quase nada fizeram pelo nosso Estado nos últimos dois anos. Cito, por exemplo, o senador Eduardo Braga”, diz Melo.

Confira a íntegra da carta aberta do governador José Melo

De acordo com ele, Braga “esqueceu” de contribuir com o povo do Amazonas durante os últimos dois anos. “Ao contrário, enodoa e enlameia nosso Estado com propinas e, por isso, segundo matérias publicadas em jornais, blogs, etc, é citado em delações premiadas da Operação Lava Jato como tendo recebido, ilicitamente, dinheiro de empreiteiras”, sustenta o governador.

Na carta, ele lembra que a própria Folha de São Paulo publicou, na edição desta quarta, que Vanessa Grazziotin recebeu, na campanha à Prefeitura de Manaus, em 2012, R$ 1,2 milhão de empresa ligada à Umanizzare – responsável pela gestão dos presídios de Manaus. “Nem por isso lhe considero desonesta”, afirma.

No artigo publicado na Folha de São Paulo, Vanessa diz haver ineficiência da Umanizzare. “Há sobrepreço do contrato (triplo da média nacional), que já consumiu, de 2010 a 2016, R$ 1,1 bilhão do dinheiro público, parte dos quais irrigaram campanhas do governador e seus aliados”, escreve a senadora.

A parlamentar também aproveita para relembrar acusações feitas a José Melo na campanha de 2014. “Gravações no processo eleitoral de 2014 revelaram que o major da PM Carliomar Brandão, então subsecretário de Justiça e Direitos Humanos, celebrou um acordo com Zé Roberto (chefe da FDN). Houve compromisso com regalias para a facção em troca de 100 mil votos à reeleição do governador José Melo (Pros). O processo tramita no TSE, até hoje sem julgamento”, diz ela.  

José Melo também reage a esse trecho do artigo. “Nunca tive envolvimento com o tráfico de drogas”, assegura ele, ressaltando que foi derrotado na votação nos presídios. "Na campanha, perdi feio para o seu aliado político, o Senador Eduardo Braga, nos presídios". Conforme afirma, durante a campanha de 2014 “de forma sórdida, covarde, irresponsável e oportunista”, Eduardo Braga tirou do contexto falas de uma gravação dentro do presídio para indicar que um coronel da PM estaria ali a mando do governador. Segundo ele, a prova de que o episódio não lhe incrimina consta no processo de cassação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Melo também enumera as ações do governo do Amazonas no combate ao tráfico de drogas e diz que a Secretaria de Segurança Pública (SSP/AM) apreendeu 21 toneladas de drogas em dois anos, “mais do que nos últimos vinte anos, inclusive, mais do que seu aliado político, Eduardo Braga, conseguiu em oito anos”, assevera na carta direcionada à Vanessa Grazziotin. Em dois anos, diz ele, o governo “quase duplicou a população carcerária, e desse acréscimo mais de 70% eram criminosos do tráfico”. 

Leia  o artigo publicado pela senadora Vanessa Grazziotin no jornal Folha de São Paulo

A assessoria de imprensa do senador Eduardo Braga foi procurada pela reportagem na noite desta quarta-feira (11), mas até a manhã desta quinta (12) nao havia respondido.

Publicidade
Publicidade