Publicidade
Cotidiano
Notícias

Juiz federal Sérgio Moro intervém e mantém chefão da facção FDN longe do Amazonas

Conhecido nacionalmente pela Operação Lava Jato, o magistrado acatou pedido da superintendência da PF no Amazonas para manter o narcotraficante Gelson Carnaúba no presídio federal de Catanduvas, no Paraná 29/11/2015 às 20:02
Show 1
Sérgio Moro ganhou os holofotes da imprensa por ser o juiz da Operação Lava Jato, que já levou diversos políticos e empresários a cadeia por corrupção
Kelly Melo Manaus (AM)

O narcotraficante e um dos principais líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN), Gelson Lima Carnaúba, 41, vai permanecer no presídio federal de Catanduvas, no Paraná. A informação foi confirmada, neste domingo (29), pelo secretário de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio.

Na semana passada, autoridades da Segurança Pública do estado ficaram preocupados com a possibilidade de retorno do traficante e a reaproximação dele da FDN, após facção ter sido desmantelada pela operação La Muralla, da Polícia Federal. 

Gelson Carnaúba é apontado como um dos dois ‘comandantes’ da facção que controla o tráfico no Amazonas (Antônio Menezes / Arquivo AC)

Florêncio explicou que na última quarta-feira, o juiz federal Sérgio Moro, o mesmo da operação Lava Jato, acatou o pedido da PF do Amazonas pela permanência de Carnaúba, em Catanduvas. “O Carnaúba era um dos alvos da operação La Muralla e o mandado de prisão contra ele foi cumprido lá mesmo, na semana passada. Assim, a PF daqui pediu para que ele ficasse lá em Regime Disciplinar Diferenciado”, afirmou, ao complementar o que preso está isolado em uma cela.

Ainda segundo o secretário da Seap, a Polícia Federal tem um prazo de 90 dias para justificar o pedido de permanência de Carnaúba no presídio federal à Justiça Federal. Em janeiro, o traficante que estava foragido do Amazonas, foi preso no Rio Grande do Norte pela Polícia Federal. Como a PF potiguar não cumpriu o prazo para justificar o manutenção dele em Catanduvas, o traficante seria devolvido para o Estado.

Publicidade
Publicidade