Publicidade
Cotidiano
Notícias

Juíza indefere pedido e réus do 'caso Belota' vão a julgamento nesta quinta (21)

No despacho, a juíza diz que os autos encontram-se prontos para julgamento dos réus Jimmy Robert de Queiroz Brito, Rodrigo de Moraes Alves e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães 19/11/2013 às 15:51
Show 1
Ruan Pablo, Jimmy Robert e Rodrigo Alves durante instrução processual realizada no mês de abril
acritica.com Manaus, AM

A juíza titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, Mirza Telma de Oliveira Cunha, negou nessa segunda-feira (18), o pedido de adiamento do julgamento dos acusados do “caso Belota”. O pedido foi feito pela defesa de Rodrigo de Moraes Alves, um dos três réus.

A defesa alegava que, pelo fato de a juíza ter autorizado a quebra de sigilo telefônico de Olga Matos Marinho, isso “poderia trazer fatos novos, bem como uma nova pessoa para se fazer parte do contexto acusatório que já se encontra nestes autos”.

No despacho, a juíza diz que os autos encontram-se prontos para julgamento dos réus Jimmy Robert de Queiroz Brito, Rodrigo de Moraes Alves e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães.

“No que tange ao surgimento de fatos novos, bem como a inclusão ou não de uma nova pessoa para fazer parte do contexto acusatório, no caso a sra. Olga Matos Marinho Roberto, entendo que nada obsta à realização do Júri com relação aos Acusados supramencionados. Outrossim, ressalto que com relação à sra. Olga, os fatos estão sendo apurados em novo inquérito, o qual será devidamente analisado tanto pelo Ministério Público quanto por este Juízo, quando de sua conclusão e remessa à Justiça, motivo pelo qual indefiro pedido formulado”, escreveu a juíza em seu despacho.

Com o indeferimento, o julgamento deverá acontecer na quinta-feira (21). Os três réus são acusados das mortes de Maria Gracilene, 55, Gabriela Belota, 26, e de Roberval Roberto de Brito, 63, assassinados em 22 de janeiro desse ano.

Mesmo sendo um julgamento com três réus e nove testemunhas, a 1ª Vara do Tribunal do Juri, não cogita a paralisação com recomeço no dia seguinte. De acordo com o diretor Vara, Glauber Barros, essa possibilidade foi descartada e, nesse caso, o julgamento pode entrar pela madrugada.

“Está tudo encaminhado. As testemunhas já estão cientes e esperamos encerrar durante a noite, haja vista que são três réus”, disse Glauber Barros.

Jimmy Robert é acusado por homicídio triplamente qualificado contra Maria Gracilene e Gabriela Belota, e duplamente qualificado quanto a Roberval Roberto de Brito, além de furto qualificado. Contra Jimmy pesa ainda o agravante de crime praticado contra ascendente. Segundo consta no processo, ele teria planejado e sido o mandante da morte do pai, da tia e da prima.

Rodrigo Moraes responderá por homicídio triplamente qualificado contra Maria Gracilene e Gabriela Belota, e duplamente qualificado contra Roberval Brito, furto qualificado e estupro de vulnerável, pois ele teria abusado sexualmente de Gabriela em circunstâncias em que a vítima não poderia oferecer resistência, além de violência contra o cachorro da jovem, que foi estrangulado.

Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães também será julgado por homicídio triplamente qualificado contra Maria Gracilene e Gabriela Belota, e duplamente qualificado quanto a Roberval Roberto de Brito, além de furto qualificado. Os três estão presos.


Publicidade
Publicidade