Sábado, 20 de Julho de 2019
Notícias

Juizados Cível e Criminal do Tjam farão atendimento no estádio durante a Copa de 2014

A partir desta quinta-feira (16), através de parceria com Governo do Estado, serão desenvolvidas as ações que permitirão ao Judiciário amazonense atuar no estádio Arena da Amazônia, durante a Copa de 2014, com os Juziados Cível e Criminal



1.jpg Servidores do Judiciário amazonense poderão trabalhar voluntariamente
16/05/2013 às 17:56

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, e o coordenador estadual da Unidade Gestora do Projeto Copa do Mundo Fifa-2014 (UGP-Copa), Miguel Capobiango Neto, discutiram nesta quinta-feira (16) a participação do Judiciário amazonense na organização do evento em Manaus, que sediará quatro jogos do mundial em 2014.

O Amazonas já vem participando dos preparativos nacionais do Judiciário em relação à Copa do Mundo, através do desembargador do Tjam Lafayette Carneiro Vieira Júnior, coordenador da Justiça estadual no evento e designado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele e outro magistrado amazonense integrarão a equipe de juízes e desembargadores brasileiros que atuarão nas cidades onde ocorrerão os jogos da Copa das Confederações Fifa-2013, marcada para o mês que vem.

Na reunião desta quinta-feira ficou acertado que  UGP-Copa disponibilizará um espaço dentro da Arena da Amazônia, para que seja implantado um Juizado Cível e um Juizado Criminal para atender as demandas judiciais, com maior rapidez, envolvendo principalmente torcedores, turistas e público em geral nas proximidades do estádio. “Nós precisamos, não apenas como representantes deste Poder, mas como cidadãos amazonenses, usarmos nossos melhores esforços para o êxito total deste grandioso evento que será realizado em Manaus”, declarou o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, que assegurou a Capobiango uma parceria do Tjam com a UGP-Copa.

Moutinho solicitou à desembargadora Carla Reis, coordenadora dos Juizados, que fique na linha de frente do projeto para que sejam tomadas as providências necessárias. “A implantação dos Juizados Cível e Criminal dentro do estádio, inclusive por exigência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e da Fifa, irá atender as demandas dos frequentadores do evento. Anteriormente ao período da Copa, também faremos um trabalho preventivo para coibir qualquer tipo de infração”, afirmou a desembargadora Carla Reis, ressaltando que as medidas são necessárias para a segurança de todos durante a Copa do Mundo em Manaus e o Judiciário desempenhará o seu papel nesse sentido.

O juiz auxiliar da Presidência, Adalberto Carim Antonio, que também participou da reunião, disse que existem elementos de interesse comuns diante da parceria entre o Tribunal e a organização do evento, e que ela poderá ser estendida a outras eventualidades, não se restringindo ao período da Copa. “Uma das coisas que a Fifa certamente exige é que haja essa acessibilidade à Justiça. A existência dos Juizados Cíveis e Criminais no âmbito do evento vai facilitar esse acesso”, afirmou Carim.

Trabalho voluntário

Servidores do Judiciário amazonense poderão trabalhar no evento, voluntariamente. De acordo com o juiz de Direito e auxiliar da presidência do Tjam, Adalberto Carim, a ideia é “conseguir aglutinar um grande servidores do Judiciário que falem língua estrangeira e que tenham disponibilidade de tempo, para a colaboração voluntária”.

Os voluntários ficarão à disposição das demandas que surgirem, inclusive durante os jogos. Posteriormente serão criados e divulgados e-mails e telefones para que o servidor da Justiça que deseje prestar serviço voluntário durante a Copa de 2014 possa se inscrever.

*Com informações da Divisão de Imprensa e Divulgação do Tjam

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.