Publicidade
Cotidiano
Notícias

Julgamento do 'Caso Fred' acontece dia 20 deste mês

O processo tem 11 volumes e o julgamento tem previsão de durar dois dias. O juiz solicitou reforço policial do comando da PM 14/06/2013 às 17:15
Show 1
O crime ocorreu no dia 10 de junho de 2001, no cruzamento das ruas Ramos Ferreira e Duque de Caxias, no Centro de Manaus
acritica.com Manaus (AM)

A 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus vai julgar a partir da próxima quinta-feira (20), o processo envolvendo Waldemarino Damasceno, Terezinha de Jesus Rocha, Ronaldo da Silva (soldado Melo e Silva), Olavo Paixão e Claudiney da Silva Feitoza. O processo ganhou repercussão na capital amazonense e ficou conhecido como “Caso Fred”.

Todos são acusados pelo assassinato do técnico agrícola Fred Fernandes e tentativa de homicídio contra Maria da Conceição dos Santos Silva e Adonis dos Santos Silva, esposa e filho de Fred Fernandes, respectivamente. O crime ocorreu no dia 10 de junho de 2001, no cruzamento das ruas Ramos Ferreira e Duque de Caxias, no Centro de Manaus.

O processo tem 11 volumes e o julgamento tem previsão de durar dois dias. Com isso, a 2ª Vara do Tribunal do Júri já solicitou reforço na segurança, providenciou plantão médico e reservou vagas em hotel para os oficiais de Justiça e os jurados – que deverão ficar incomunicáveis, no caso de o julgamento durar mais de um dia.

Júri

O Júri será composto por sete jurados que serão sorteados no início da manhã do dia 20. O julgamento será presidido pelo juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, Anésio Rocha Pinheiro. O Ministério Público do Amazonas (MPE/AM) estará representado pelo promotor público Edinaldo de Aquino Medeiros. Deverão ser ouvidas acima de 30 testemunhas entre as de defesa e de acusação.

Entenda o caso

Waldemarino Damasceno e Terezinha de Jesus Rocha são pais da universitária Danielle Damasceno, que foi assassinada com requintes de crueldade. Na denúncia do Ministério Público consta que o crime contra Fred Fernandes teria sido encomendado pelos pais da garota para vingar a morte de Danielle, de 20 anos, ex-namorada do filho do técnico agrícola.

Um outro réu, Erivan Pereira (soldado PM), morreu em um acidente de motocicleta e seu nome foi excluído do processo.

*Com informações da Divisão de Imprensa e Divulgação

Publicidade
Publicidade