Publicidade
Cotidiano
Notícias

Justiça adia julgamento de acusados de desviar ingressos da Copa de 2014

Onze pessoas são acusadas de participar de esquema. Segundo Ministério Público, grupo vendia ingressos destinados a patrocinados, jogadores e seleções 10/08/2015 às 15:09
Show 1
Em 2014, os 12 suspeitos foram presos na Operação Jules Rimet
Isabela Vieira (Agência Brasil) Rio de Janeiro

São acusados pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) por cambismo, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, desvio de ingresso para câmbio e organização criminosa Mahamadou Lamine Fofana, Alexandre da Silva Borges, Antonio Henrique de Paula Jorge, Marcelo Pavão da Costa Carvalho, Sergio Antonio de Lima, Julio Soares da Costa Filho, Fernanda Carrione Palucci, Ernanu Alves da Rocha Junior, Alexandre Marino Vieira, Ozeas do Nascimento, além de José Massih.

O executivo Raymond Whelan, diretor da Match Services – que tinha direitos exclusivos para a venda de pacotes de hospitalidade para a Copa (que incluíam ingressos e serviços VIP) e era ligada a Federação Internacional de Futebol (Fifa) – também foi acusado pelo MPRJ, mas as denúncias ainda estão sob análise na 6º Câmara Criminal e ele não irá a julgamento desta vez.

Segundo o Ministério Público, a organização criminosa vendia os ingressos destinados pela Fifa a patrocinados, jogadores e seleções que participavam da competição. Em 2014, os 12 suspeitos foram presos na Operação Jules Rimet, que acabou fechando três empresas de turismo.

À época, a Match informou que a venda de ingressos era feita para empresas e pessoas físicas, que não fazia revenda por preço acima do permitido e nem autoriza seus clientes a fazê-lo.

Publicidade
Publicidade