Publicidade
Cotidiano
SUZANO

Justiça autoriza apreensão de terceiro suspeito de planejar atentado em Suzano

É um adolescente que era colega de classe de um dos atiradores e teria auxiliado na compra de equipamentos usados no crime. “Eles se inspiraram no ataque Columbine”, disse o delegado 15/03/2019 às 10:24 - Atualizado em 15/03/2019 às 10:27
Show 2019 03 14t011813z 232056668 rc1c92bf51d0 rtrmadp 3 brazil violence school ee3210e5 6972 4e9f 97ac d64b62e523aa
Foto: Agência Brasil
Flávia Albuquerque (Agência Brasil) São Paulo (SP)

O Tribunal de Justiça de São Paulo autorizou a busca e apreensão no endereço do terceiro suspeito de participar do planejamento das mortes na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, região metropolitana de São Paulo, na última quarta (13). Ele é um adolescente que era colega de classe de um dos atiradores no atentado.

O ataque deixou dez mortos, dos quais duas funcionárias da escola, seis alunos e os criminosos, que se mataram depois do atentado. Outros 11 feridos foram encaminhados a hospitais e oito ainda continuam internados.

A apreensão do adolescente foi requisitada à Justiça para posterior apresentação à Vara da Infância e Juventude. “Os dois autores mortos durante o ataque participaram efetivamente da execução. O terceiro suspeito identificado não estava naquela localidade. Ele participou, em tese, de todo o planejamento. Eles projetaram o ocorrido pelo menos desde novembro”, explicou o delegado geral da Polícia Civil, Ruy Ferraz Fontes.

De acordo com o delegado Alexandre Henrique Augusto Dias, responsável pelo inquérito policial, o terceiro suspeito era colega de classe do atirador e teria auxiliado na compra de equipamentos utilizados durante o crime, adquiridos por meio do comércio virtual. Os materiais e o veículo utilizados foram apreendidos e encaminhados para análise. A perícia técnica comprovará a dinâmica dos fatos.

“Eles se inspiraram no ataque Columbine, nos Estados Unidos, ocorrido no ano de 1999. Os envolvidos tinham conhecimento absoluto da unidade de ensino”, ressaltou o delegado Alexandre Henrique Augusto Dias.

Publicidade
Publicidade