Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
publicidade
1175517.JPG
publicidade
publicidade

VERBA PÚBLICA

Justiça condena ex-prefeito do Careiro por desviar mais de R$ 274 mil de verba pública

Hamilton Villar foi denunciado pelo MPF após sacar irregularmente recursos federais destinados a programas assistenciais, em 2008


29/08/2017 às 15:46

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) obteve na Justiça a condenação do ex-prefeito Hamilton Alves Villar e do ex-tesoureiro Carlos David Rebouças de Oliveira, da prefeitura do Careiro, município localizado a 24 quilômetros de Manaus, por improbidade administrativa.

Hamilton Villar não fez a prestação de contas da utilização de recursos federais repassados a fundos assistenciais do município, e também não deu conhecimento do destino final do dinheiro. Em comum acordo, o ex-prefeito e o ex-tesoureiro desviaram mais de R$ 274 mil, repassados pelo Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS), durante a gestão do então prefeito, em 2008. O dinheiro era destinado à proteção de famílias em estado de vulnerabilidade social, como vítimas de maus-tratos, de abusos sexuais e dependentes químicos.

Na sentença, o juiz considerou suficiente os indícios apontados pelo MPF/AM, pela intenção dos culpados em utilizar, em benefício próprio, o valor desviado. O ex-prefeito e o ex-tesoureiro praticaram uma série de saques em espécie “na boca do caixa” e emitiram dois cheques “ao portador”, em valores que, somados, correspondem a quantia repassada ao município para os programas assistenciais.

Com base no artigo 12 da Lei nº 8.429/92, a Justiça Federal condenou Hamilton Villar e Carlos Rebouças à perda da função pública, à suspensão dos direitos políticos por cinco anos, ao pagamento de multa no valor de R$ 5 mil cada um, à proibição de contratar com o Poder Público por cinco anos e ao ressarcimento de R$ 216.631,50, valor referente aos saques realizados. Hamilton Villar deve ainda ressarcir, em razão da não prestação de contas do repasse, outros R$ 58.117,50, que correspondem à diferença entre o valor repassado pelo governo federal e o valor sacado por ele e pelo ex-tesoureiro.

A ação tramita na 1ª Vara Federal do Amazonas, sob o número 0012634-46.2012.4.01.3200. Ainda cabe recurso da sentença.

publicidade

Bloqueio de bens e valores

Em 2014, o MPF/AM obteve na Justiça, no curso da ação civil pública de improbidade administrativa, uma decisão liminar que bloqueou os bens e contas bancárias do ex-prefeito e do ex-tesoureiro do Careiro.

No início deste ano, o órgão também ofereceu denúncia contra o ex-prefeito, pela não divulgação via internet dos planos, leis e diretrizes orçamentárias, das prestações de contas e do respectivo parecer prévio, bem como do relatório resumido da execução orçamentária e do relatório de gestão fiscal da prefeitura.

De acordo com a denúncia, o portal de transparência mantido pelo município é incompleto e suas funcionalidades são insuficientes, não há registros orçamentários, nem gestão fiscal dos últimos seis meses. Também não há indicação de atendimento ao cidadão ou a possibilidade de solicitação de informações.

*Com informações da assessoria de imprensa

publicidade
publicidade
Em três meses, Polinter recapturou mais de 280 foragidos da Justiça em Manaus
Justiça decreta prisão de três pessoas pelas mortes na Muzema, no RJ
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.