Publicidade
Cotidiano
HOMICÍDIO

Justiça condena réu a 24 anos de reclusão por assassinar companheira em Envira

Conforme denúncia do MPE, crime foi motivado por ciúmes. O julgamento ocorreu no inicio da semana e o Júri Popular foi conduzido pelo juiz Ian Andrezzo Dutra 29/11/2018 às 14:53
Show envira agora df106a1f e909 4a56 b5aa 1659a4499f30
(Foto: Arquivo AC)
acritica.com* Manaus (AM)

O réu José Ernane Monteiro de Souza foi condenado a 24 anos de reclusão pelo homicídio qualificado cometido contra sua companheira, crime ocorrido em junho do ano passado. O julgamento ocorreu na última segunda-feira (26), no município de Envira (distante 1.177 quilômetros de Manaus) e o Júri Popular foi conduzido pelo juiz titular da Vara Única da Comarca, Ian Andrezzo Dutra.

De acordo com denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual (MPE), o crime foi motivado por ciúmes e ao cometê-lo, o réu não permitiu qualquer possibilidade de defesa à vítima, que se encontrava dormindo no momento em que foi assassinada.

Para o Conselho de Sentença, o crime teve como qualificadores o motivo fútil, o meio cruel e a impossibilidade de defesa por parte da vítima. A condenação teve como base o art. 121, § 2º, incisos II, III, IV e VI c/c § 2º-A, inciso I, 7º, inciso III, do Código Penal Brasileiro.

Conforme os autos, a vítima vinha sofrendo ameaças por parte do companheiro, motivadas por crises de ciúmes. No dia do crime, o acusado esperou que todos em sua residência dormissem e valendo-se de um pé-de-cabra atingiu a cabeça da companheira que dormia junto às suas duas filhas. O crime foi testemunhado por uma das crianças.

Ainda conforme os autos, o réu determinou que as filhas se dirigissem à casa da avó destas, afirmando às filhas que a mãe havia sido atingida por outra pessoa. Após as filhas saírem, percebendo que a companheira ainda estava vida, o acusado a golpeou como uma faca no abdômen e, para sustentar que a residência havia sido invadida por uma pessoa estranha atingiu, superficialmente, com a mesma faca, o próprio pescoço e barriga.

O Júri que culminou com o sentenciamento de José Ernane Monteiro de Souza a 24 anos de reclusão ocorreu na última segunda-feira (26) e foi realizado na Câmara Municipal de Envira.

*Com informações de assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade