Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Notícias

Justiça do Piauí determina internação de jovens envolvidos em estupro coletivo

Quatro adolescentes, entre 15 e 17 anos, são acusados de violentar quatro garotas e depois arremessá-las de um penhasco. Uma das vítimas morreu



1.jpg
Vítimas tinham entre 15 e 17 anos
10/07/2015 às 16:13

A Justiça do Piauí determinou a internação, por três anos, dos quatro jovens envolvidos no estupro de quatro meninas na cidade de Castelo do Piauí, a 190 quilômetros de Teresina, no fim de maio. Os adolescentes, entre 15 e 17 anos, são acusados de violentar as garotas e de arremessá-las de um penhasco. Uma vítima morreu e a adolescente que ainda estava internada recebeu alta no sábado (4).

A decisão do juiz Leonardo Brasileiro, da comarca da cidade, foi tomada ontem (9) e divulgada nesta sexta-feira. O magistrado reconheceu a participação dos jovens nos atos infracionais análogos aos crimes de estupros, três tentativas de homicídio, um homicídio com agravante de feminicídio e associação criminosa. Os quatro jovens devem ficar internados no Centro Educacional Masculino, em Teresina.

No dia 27 de maio, as meninas foram encontradas, pela Polícia Civil, violentadas e desacordadas. As investigações mostraram que elas foram abordadas, amarradas e amordaçadas. Durante duas horas as meninas sofreram violência sexual. Em seguida, segundo o Ministério Público, as adolescentes foram jogadas de cima de um penhasco de mais de 6 metros.

O Ministério Público do Piauí também denunciou um adulto, de 40 anos, por participação nos crimes. O processo dele tramita separadamente e não há data para o julgamento. Ele foi denunciado por porte ilegal de arma, estupro qualificado, homicídio, tentativa de homicídio, corrupção de menores e associação criminosa. A promotoria pediu a pena máxima, que pode chegar a 151 anos.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.